Família

A desencantadora de bebês

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Quase todo mundo conhece a americana Tracy Hogg, a Encantadora de Bebês, que tem o dom de fazer um pequenino dormir. Pois eu deveria receber o título contrário - porque, apesar de todas as técnicas que aplico, minha filha não dorme!

A desencantadora de bebês

Vocês leram o livro da "Encantadora de Bebês"? Eu diria que esse é um clássico da literatura materna, lido por boa parte das mães brasileiras com filhos que têm dificuldade para dormir (se você quiser saber tudo o que penso sobre a obra, eu contei aqui).

No meu caso, o contato com a autora aconteceu ainda na gravidez - minha vizinha e amiga me emprestou seu exemplar, dizendo que tudo o que eu precisaria para fazer minha filha dormir bem estava ali.

Claro que eu devorei o livro, li e reli inúmeras vezes, grifei o que achava importante, quase como se estivesse me preparando para uma prova. Matéria na ponta da língua, era hora de colocá-la em prática quando Catarina nasceu.

Mas não é que a teoria e a prática eram completamente diferentes?

Bastou um mês para que eu me desse por vencida: minha filha chorava o dia inteiro, e boa parte do tempo porque não conseguia dormir. Eu era a mãe mais regrada do mundo - meu sobrenome era rotina, e ai daquele que tentasse perturbar o esquema que eu tinha determinado para a pequena! 

Ela acordava, mamava, eu fazia a troca de fraldas, brincava um pouquinho e então, quando via seus primeiros sinais de cansaço, tentava colocá-la para dormir, exatamente como sugerido pela "Encantadora". Para que Catarina não aprendesse a associar sono e peito, eu não a deixava dormir durante as mamadas diurnas, apenas à noite. E sabem o que isso quer dizer? Que ela praticamente não dormia durante o dia! Porque era muito difícil acalmá-la de outra forma - e olha que eu tentei de tudo!

Eu a embalava no colo (e quando estava quase conseguindo colocar a pequena no berço, lá vinha o chorinho! E recomeçava o ciclo, com mais vinte minutos de embalo até a próxima tentativa); eu a colocava no carrinho (e ficava andando pela casa - parecia uma louca! - porque parado ele não funcionava. E se a filhota despertasse antes da hora, tinha que fazer outra caminhada); eu a colocava no carro (não como prática diária, mas saía de casa com o horário cronometrado para que o esquema se encaixasse com as sonecas), e então ela realmente dormia, para acordar quando o barulho do motor parava (e a vontade de chorar nessa hora?).

Testei até o que me parecia uma lenda da internet: a técnica do secador de cabelos! E não é que funcionava, eventualmente? Era só ligar o aparelho por alguns minutos, que Catarina se acalmava, a ponto de dormir. Claro que depois de algumas semanas o secador queimou por excesso de uso!

Por tudo isso, só posso me considerar uma "desencantadora de bebês". Porque apesar da minha dedicação e comprometimento (houve uma época em que eu só pensava em fazer Catarina dormir bem, acreditem!), eu falhei. E quando me dei por vencida, depois de mais de um ano de frustração, naturalmente a pequena começou a dormir melhor. Só para mostrar que cada bebê tem seu jeito, seu tempo, e que, por vezes, o melhor a se fazer é apenas esperar.

(Foto: Seth Baur/Creative Commons)

comentarios filhos, maternidade, dormir