Família

Despedida: quando a mãe sofre mais do que o filho

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Eles crescem e nos mostram que é hora de exercitar tudo o que um dia ensinamos

Despedida: quando a mãe sofre mais do que o filho

Eu me lembro bem dos primeiros dias de aula de minha filha Catarina. Ela ainda não tinha 3 anos de idade, segurava forte em minha mão, enquanto entrava pelo portão da escola.

Combinamos que eu ficaria ali, e que ela poderia brincar com os amiguinhos - a pequena ia e voltava para se certificar de que eu ainda estava esperando-a. E foram alguns dias até que eu a deixasse, para retornar na hora da saída.

Certamente esse foi um marco importante em sua independência (e também na minha, pois me recordo de ter chorado quando a deixei ali, sob os cuidados da equipe que havia escolhido para cuidar do meu bem mais precioso).

Ao mesmo tempo em que meus olhos se encheram de lágrimas, meu coração experimentou sentimentos contraditórios: a partir daquele dia eu teria todas as tardes para me dedicar ao meu trabalho, às minhas coisas (e isso era bom demais!).

Por outro lado, era como se eu me desse conta de que o mundo de Catarina estava aumentando, crescendo, e minha presença já não lhe bastaria (e o coração de mãe não dói nesse momento?).

Alguns anos se passaram desde então e aquele meu bebê, inseguro, frágil, deu lugar a uma menininha que passou a me ensinar muito.

Recentemente, recebi um convite para uma viagem a trabalho, em outro país, uma oportunidade única! Aceitei com um nó na garganta, mesmo sabendo que seriam poucos dias longe da pequena. E quando contei a ela que a mamãe se ausentaria por um tempo, receosa de sua reação, ela abriu um enorme sorriso e me disse:

- "Que bom, mamãe, você deve estar muito feliz! Você vai fazer novos amigos!".

Pois aqui estou eu, prestes a embarcar, desejando que minha filha estivesse me dando a mão. O peito apertado com a saudade que mal começou, mas ao mesmo tempo contente, por ver como ela está tranquila.

Com o tempo, a despedida dói mais nos pais do que nos filhos - e se tudo o que desejamos é que eles sejam felizes, não é melhor que seja assim?

(Foto: Donnie Ray Jones/Creative Commons)