Família

Fim de semana de mãe

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Você também espera a segunda-feira para descansar?

Fim de semana de mãe

Era uma vez uma mãe, que acordou às seis horas da manhã. No quarto ao lado, seu bebê começou a chorar, e ela levantou correndo. Sem saber exatamente como se materializou em frente ao berço, ela pegou o filhote no colo, tendo certeza de seu dia havia começado. Não importa que fosse um domingo - o pequenino não dormiria mais, e o batente começaria, ela querendo ou não.

Café, café, café! Sim, era disso o que ela realmente precisava. Ele sempre a salvava nos momentos em que tudo o que ela queria era voltar para a cama, mas seu filho acenava com as mãozinhas, mostrando que sua disposição para explorar os cômodos era máxima! E lá ia ela, com as costas arqueadas, servir de apoio para o pequeno. Poucas horas depois, já contava os minutos para o meio dia - afinal, viria o almoço e logo depois a santa soneca! 

Ela não queria nem imaginar quando seu filho crescesse um pouco mais e deixasse de dormir durante o dia. Especialmente durante os fins de semana, em que não tinha ajuda com a casa, esse era o único momento que lhe restava para colocar a bagunça em ordem.

E para recostar no sofá, recuperando as energias que tinham se esgotado em apenas na parte da manhã. O duro era decidir entre fazer uma coisa ou outra (embora o cansaço quase sempre a fizesse parar, ou colocar o bebê para dormir na sua própria cama, enquanto ganhava uns minutinhos para fechar os olhos).

O bebê havia almoçado, mas ela mesma não. Depois que o filhote acordou, decidiram, ela e o marido, comer fora.

Uma hora apenas para separar os itens da bolsa do pequeno, e lá ia a caravana da coragem. Sim, porque é preciso ser muito corajosa para tentar almoçar em um restaurante com uma criança dessa idade. Você sabe que ela tentará sair gritando da mesa, ou virará o copo de suco na sua roupa, ou começará a chorar assim que seu pedido chegar...

Conclusão: assim como em casa, ela acaba engolindo a comida em menos de dez minutos, para acabar com aquela pequena tortura!

Depois de voltarem para casa, ela e o marido (se é que ela não toca o barco da maternidade sozinha) se revezam nos cuidados com o bebê. Mas, cá entre nós, há tarefas que "coincidentemente" acabam ficando só com ela. Como a troca da fralda cheia de cocô!

Enfim, hora de jantar, dar banho, a última mamada e colocar o bebê na cama. Ufa, ela havia sobrevivido! Agora, a tão esperada hora de descansar, porque o dia seguinte chegaria em breve: Segunda-feira!

E você, também vive o chamado "fim de semana de mãe" na pele?.

(Foto: 123RF)