Família

O prazer de levar as crianças à biblioteca

Por Paula Rizzo

Um hábito interessante para as famílias

O prazer de levar as crianças à biblioteca

Hoje em dia, especialmente nas grandes cidades, ir às livrarias se tornou um passeio de família. Com áreas infantis planejadas e bem pensadas, as livrarias convidam as pessoas a sentar e ler os livros, tenham elas o interesse de levar para a casa ou não.

Talvez esse tipo de comportamento tenha esvaziado um pouco o hábito de visitar bibliotecas infantis por parte de muitas famílias. Mas, na minha opinião, é uma experiência totalmente diversa.

Claro que se assemelha à medida em que ir à livraria também é visitar um espaço público dedicado à leitura, onde se encontram pessoas diferentes. E, assim como nas livrarias, nas bibliotecas também há contação de histórias e outros eventos. Porém, o ato de pegar emprestado e ir devolver os livros é outra história.

E o acervo é totalmente outro. Nas bibliotecas encontramos livros que já saíram de catálogo, livros que tem história (com inscrições de seus antigos donos, caso tenham sido fruto de doação). Estou amando, por exemplo, poder mostrar para as minhas filhas os livros que eu lia quando era criança. Algumas coleções que hoje não existem mais; outras são edições da mesma época em que eu os li. Acho demais poder compartilhar com as meninas.

Nós costumamos ir a duas bibliotecas: uma perto de casa, a Álvaro Guerra, no Alto de Pinheiros, e outra, que para nós envolve um grande deslocamento: fica na Vila Mariana.

É a Biblioteca Infantil Multilíngue da Belas Artes.Ela tem um acervo de mais de 11 mil títulos, em 10 idiomas, que podem ser emprestados ou lidos in-loco. A ambientação é muito inspiradora, com foco no design de qualidade. Eles têm, logo na entrada, a Banquete Chair dos irmãos Campana, uma mesinha baixa com cadeiras translúcidas série 7 do Arne Jacobsen em cores diferentes, alguns brinquedos e um projeto bonito de marcenaria. Aos sábados abre até às 16hs. Como se pode tirar 5 livros por 15 dias, acaba ficando razoável para nós. Fora que dá para renovar o empréstimo se necessário. E as crianças fazem uma farra...

Na Álvaro Guerra o ambiente não é tão especial, mas o acervo é ótimo. Fazem muito sucesso os gibis e os livros fora de catálogo. E a proximidade favorece uma visita mais frequente. Além do mais, é uma biblioteca municipal e não apenas infantil, o que é também muito legal pois tem sempre adultos lendo livros e jornais.

Nosso próximo passo é levar as crianças na Biblioteca Monteiro Lobato, na Vila Buarque.

Vale a pena conferir as programações das bibliotecas infantis da sua cidade ou do seu bairro. É uma experiência muito legal para as crianças e para os pais também. Para fazer o cadastro, em geral, se pede documento original (algumas pedem também xerox do RG) e comprovante de residência.

(Fotos: Arquivo pessoal)