Família

Pai é o sidekick quando um bebê chega

Por Jorge Freire Jr.

O pai precisa estar ao lado da mãe na chegada do bebê. Isso é fundamental para a harmonia da casa

Pai é o sidekick quando um bebê chega

Minha filha está chegando no final do mês e a rotina em casa já está mudando - e só de pensar no momento do nascimento me dá um friozinho na barriga!

Já se passaram mais de 5 anos desde da chegada do meu Padawan e tenho receio de ter esquecido como cuidar de um bebê.

Dizem que ter filhos é igual a andar de bicicleta, que lembramos rapidinho de como se troca as fraldas, de como dá banho etc, etc, etc.

Espero que isso seja verdade.

Mas algo que muda com a chegada de um bebê é o relacionamento do casal.

Antes éramos um time equilibrado, ambos tinham suas responsabilidades e não existia uma hierarquia.

Porém, com a chegada do bebê, o pai torna-se o sidekick da mãe.

Sou eu quem vou fornecer toda a estrutura - inclusive a emocional - para que a Fá possa descansar de suas noites mal dormidas.

Responsabilidades que antes não eram minhas agora serão e preciso fazê-las sem questionar.

O pai precisa estar presente e ajudar em tudo.

Precisamos ser pró-ativos e ficarmos a postos para cumprir qualquer missão. E não podemos deixar o filho mais velho de lado!

Colocá-lo para te ajudar é um ótimo caminho! Assim, ele se sente integrado à família e o temido ciúme não aparece.  

Então, pais, não se esqueçam disso: a Super-Heroína da casa é a sua companheira e nós somos os sidekicks.

Agindo assim, todos ganham, pois uma casa em harmonia é bem mais saudável.

(Foto: Arquivo pessoal)