Família

Se você é filho do meio vai querer saber disso

Por Renata Deos

Geralmente o filho do meio se sente o patinho feio. Mas depois de ler isso, ele nunca mais será o mesmo!

Se você é filho do meio vai querer saber disso

Existe um livro da psicóloga Catherine Salmon e da jornalista Katrin Schumann que combina ciência, história e casos da vida real para, pela primeira vez, revelar que a percepção dos filhos do meio está completamente errada. O livro se chama "The Secret Powers of Middle Children" (Os Poderes Secretos dos Filhos do Meio).

Que percepção é essa? 

Segundo uma entrevista dada pela jornalista Katrin Schumann à revista americana Psychology Today, seria mais um preconceito sofrido há anos pelos filhos do meio, de que todo filho do meio é negligenciado pelos pais, que eles são ressentidos, negativos, não se sentem pertencendo, não têm foco etc.

Há inclusive uma pesquisa da Universidade de Stanford que afirma que os filhos do meio são os mais invejosos, menos ousados e menos falantes entre os filhos.

Mas Katrin conta que, diferente de tudo isso, a vida real contradiz com exemplos de filhos do meio extremamente sociáveis e empáticos, como é o caso de Madonna, Martin Luther King Jr, Abraham Lincoln e 52% dos presidentes dos Estados Unidos que eram filhos dos meio.

Filhos do meio são grandes líderes de equipe e inovadores, como Bill Gates e William Dell.

Segundo Katrin, outra descoberta interessante sobre os filhos do meio que apareceu durante as pesquisas realizadas para a elaboração do livro diz respeito ao sexo. Eles são mais aventureiros e "cabeça aberta" que o filho mais velho e o caçula, mas quando está em uma relação estável, tende a ser o mais fiel.

Ela conta que em uma pesquisa feita em Israel sobre a felicidade conjugal, os filhos do meio eram os mais felizes e mais satisfeitos em seus relacionamentos. E por gerenciar melhor os conflitos que surgiam na vida em casal, também conseguiam ter os relacionamentos mais longos. 

Sobre quais profissões mais combinariam com os filhos do meio, a autora do livro fala em carreiras que não isolem esses indivíduos. Eles podem ser bons professores, atores, diplomatas, advogados de defesa etc. Mas não programadores de computador ou promotores!

E para os pais de filhos do meio, Katrin passa a seguinte mensagem: "Não se cobre tanto em como você divide a atenção entre seus filhos. Você não está traumatizando o seu filho do meio. Ele vai alcançar o que puder. Ele desenvolverá estratégias e habilidades que farão dele um adulto para alcançar seu lugar no mundo".

Você concorda com essa visão dos filhos do meio proposta pelas autoras do livro?

(Foto: PhotoDune)