Moda e Beleza

Moda fitness: como escolher o look para malhar?

Saiba quais são as últimas tendências em roupas de ginástica e como aliar o look ao desempenho do treino

Moda fitness: como escolher o look para malhar?

Quem malha sabe que as lojas de roupas fitness estão repletas de peças diferenciadas para deixar o visual em dia durante os treinos.

Polainas, calças metálicas, tops justinhos...  A variedade é tão grande que a gente chega até a ficar na dúvida sobre como criar um look, não é mesmo?

“A grande aposta para as academias em 2015 são as estampas espaciais multicoloridas e as leggings metálicas, no estilo disco, anos 80”, conta Neli Minetto, professora de moda do Senac Lapa Faustolo.

No outro lado, o que deve ser evitado (e não combina com o clima fitness) são as transparências. Já as estampas estão em alta e liberadas para todas as mulheres!

“Segundo a Pantone, a empresa norte-americana que criou um sistema de cores usado mundialmente, os tons terrosos, com fundo vermelho e verde, estão em alta neste ano”, acrescenta Neli.

O look para malhar não precisa necessariamente seguir uma regra, mas deve estar de acordo com o seu corpo.

Quem tem as medidas em dia pode abusar de peças justas e cores vibrantes. Já as mulheres que ainda estão começando e têm medidas a mais podem optar por sobreposições, pois ajudam a disfarçar as formas.

E, a exemplo das ruas, na academia você também pode lançar mão de truques que ajudam a valorizar as curvas.

“O preto e os recortes na vertical alongam e afinam a silhueta. Já no caso das estampas, quanto maior forem, maior será a percepção do tamanho do corpo. Para quem sofre com a celulite, a dica é apostar em calças e bermudas com tecidos mais grossos, como o spandex, que é bem firme e disfarça o problema”, conta a expert.

Beleza X conforto

Estar na moda ajuda a ficar mais animada para malhar? Essa é a ideia, pois a autoestima é fundamental. No entanto, é preciso levar em conta tanto o conforto como a funcionalidade das roupas.

Pense: você vai se movimentar e suar, então o tipo de tecido é muito relevante na hora de escolher uma peça.

“Tecidos que contenham fibra elastomérica possibilitam melhor flexibilidade para o corpo, como lycra, cotton, spandex e elastano”, conta Letícia Diniz, docente de moda do Senac Lapa Scipião.

Para quem sua bastante, a ideia é apostar em tecidos que absorvem a água, como o dry fit, que mantém o corpo sequinho e evita aquela sensação de pele "melada" após o treino.

Atenção especial aos seios! Conforme você se exercita, eles se deslocam e isso pode causar lesões e dores nas costas.

Por isso, precisam estar bem acomodados e sustentados durante as atividades físicas.

Para cumprir essa missão, os tops são mais indicados do que os sutiãs. Prefira os que sejam bem estruturados e ofereçam um mínimo de compressão.

Quem tem seios grandes pode optar pelos tops com alças mais grossas e decote nadador, que ajudam a dar mais sustentação.

Já para os acessórios, vale a regra do "menos é mais".

“Nada de brincos ou colares enormes – use acessórios para malhar: toalhinha, squeeze, luva de proteção, prendedores de cabelo e bonés. Aposte em polainas, tapa-bumbum e utensílios que podem ser usados desde que a façam se sentir melhor na hora do treino, e não por uma questão funcional”, complementa Letícia.  

A personal stylist conta também que viseiras e bonés são estilosos e dão um toque a mais ao visual, mas só são necessários de fato para treinos ao ar livre. Já o rabo de cavalo é fundamental em qualquer prática.

E o calçado? Tênis, sempre! A não ser que você faça alguma modalidade de solo, como pilates, ioga ou artes marciais.

An! Por mais que você queira investir naquele tênis de última geração que combina com todos os seus looks de treino, será que ele é o mais indicado para o que você pratica?

“O tênis ideal deve aliar conforto, leveza e amortecimento, principalmente para atividades de impacto, como a corrida. Além disso, deve ser produzido com materiais que facilitem a ventilação interna, auxiliando a eliminação do suor”, explica o educador físico Bruno Raphaelian, da Bodytech Indianópolis.

Quanto ao uso contínuo, o mais indicado é que você tenha, no mínimo, dois pares para fazer um rodízio. “Por mais moderno e eficiente que seja o sistema de amortecimento, ele necessita de pelo menos 24 horas para voltar à sua forma original e doar a máxima eficácia”, diz Raphaelian.

O expert também reforça que os tênis têm uma vida útil de aproximadamente 600 km. Após essa rodagem recomenda-se trocar o par.

(Foto: Getty Images)