Natal

Família reunida para o Natal

Por Helena e Joana Cardoso

Para você, é motivo de aflição ou alegria?

Família reunida para o Natal

Com os feriados de Natal e Ano-Novo, muitos viajam para rever suas famílias e passar essas datas entre parentes. Mas o que supostamente seria uma comemoração, muitas vezes, acaba em briga.

Quando vivemos distantes de nossos familiares, criamos nossos valores, rotinas e hábitos, independente deles. Quando há o encontro, obviamente essas diferenças irão aparecer e, algumas vezes, gerar conflitos.

Também é necessário lembrar daqueles que exatamente por dificuldade na relação com seus parentes foram morar longe. É claro que eles sentem saudade. Também por isso criam uma ilusão de que o encontro será maravilhoso. Porém, há uma dificuldade afetiva real que não deve ser ignorada.

Não estou dizendo com isso para que os parentes não sejam visitados no Natal. Apenas ressalto que os mal-entendidos, apesar de não serem bem-vindos, são esperados, por ser este um momento delicado, tanto física (pela já citada questão da convivência com membros “não usuais”) quanto emocionalmente (por remeter aos que, por motivo de morte ou distância, não estão lá).

Para as questões físicas, sugiro que as dificuldades nas relações sejam trabalhadas ao longo do ano, para que não detone essas datas tão importantes da vida em família.

Já para os entraves emocionais, acho importante focarmos na gratidão pelos que ali puderam estar presentes. E que os outros estejam simbolizados de outra forma. Quem sabe no coração?

Por Helena Cardoso

(Foto: GettyImages)