Natal

Guerra no fim do ano

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Você vai passar as festas com a sua família ou a do marido?

Guerra no fim do ano

Durante toda minha infância, eu tive duas ceias de Natal em todos os dias 24 de dezembro. Na primeira parte da noite, comemorávamos com a família do meu pai - avó, tios, primos, uma família imensa. E quando o relógio batia 22:30h, no máximo 23h, saíamos correndo para a segunda parte da maratona - a ceia da família da minha mãe. Tranquilo? Nem um pouco! Houve um ano em que nos atrasamos e passamos a meia noite no carro, a uma quadra da segunda festa! Mas era a forma que meu pai e minha mãe encontraram de estabelecer o delicado equilíbrio familiar nas festas de fim de ano.

Hoje em dia eu vivo outra faceta da mesma questão: sou casada, tenho uma filha e tentamos equilibrar os pratos da minha família e a do marido no mês de dezembro. No primeiro Natal de Catarina (ela tinha dez dias de vida), fizemos a comemoração em casa e não precisamos optar por uma ou outra ceia familiar.

No segundo, fomos às duas - e claro, a pequena chegou dormindo na segunda. E desde o terceiro optamos por uma ceia ou outra, para poupar a pequena e dar atenção máxima à festa escolhida naquele ano. Aparentemente, todo mundo sobreviveu sem grandes traumas!

Para quem está decidindo como serão as comemoração familiares de fim de ano, deixo algumas dicas de como (pelo menos tentar) compor o calendário para que todos fiquem felizes!

Converse, converse e converse: esse é o único modo de mostrar que consessões devem ser feitas por ambos os lados, para que todos saiam satisfeitos!

Ceia com uma parte da família, almoço no dia seguinte com a outra. Esse é um dos modelos que mais facilmente dá certo - quando a família da esposa comemora com a ceia, enquanto a do marido faz um almoço no dia 25 (ou vice-versa). A melhor parte é que você terá duas refeições já resolvidas (cá entre nós, existe preguiça maior do que ter que cozinhar depois de uma ceia natalina?);

Natal com um, Réveillon outro: há famílias que se reúnem tanto no dia 24 quanto no dia 31 de dezembro. Se esse é o caso da sua, negocie: no ano em que faltar a um evento, irá ao outro! E espere que a outra parte da família entenda também!

Opte por quem faz mais questão de sua presença: pode parecer estranho, mas esse é o critério usado por muitos casais na hora de definir com quem passar as festas de fim de ano. Errado? Acho que não! Se uma das famílias adora comemorar o Natal e a outra não liga muito para a data, com quem parece ser mais razoável passar? 

Reúna todos em sua casa: as duas famílias se dão bem? Por que não juntá-las em uma ceia muito mais animada? Particularmente, eu adoro casa cheia - a noite fica muito mais animada e feliz!

(Foto: Getty Images)