Natal

Quando o Natal ganha um sentido muito maior

Mais que reunião familiar, data pode envolver situações bastante especiais

Quando o Natal ganha um sentido muito maior

O Natal é a época perfeita para viver momentos especiais ao lado das pessoas queridas. Atos de solidariedade, amor e esperança aproximam as famílias e transformam a ocasião em uma data única.

Em alguns casos, as ações e acontecimentos são tão marcantes que a data tem motivos de sobra para ser celebrada.

Aqui, quatro famílias contam por que o Natal é aguardado, lembrado e festejado todos os anos.

“Meu sogro Manuel de Jesus Gomes tem uma casa de materiais de construção há bastante tempo em Guaianazes. Todos os anos ele comprava alguns brinquedos e distribuía para as crianças carentes da região. Certa vez, o galpão foi invadido e os brinquedos foram roubados na véspera de Natal. Isso deixou meu sogro muito chateado e o projeto foi interrompido. Esse fato marcou muito a infância da minha esposa Rosane e do meu cunhado Luis Ernesto. Eles sempre tiveram no coração o desejo de retomar o projeto. Há dez anos resolvemos arregaçar as mangas e voltar a fazer a distribuição de presentes para as crianças da região. O que começou pequeno foi crescendo, graças ao trabalho de toda a família e do apoio de todos que fazem doações. Hoje distribuímos mais de mil brinquedos e panetones para as famílias da região e contamos com uma equipe de 35 pessoas. Felizmente, todos os anos esse número aumenta. O dia da entrega tem gincana, palhaços e, é claro, a presença do Papai Noel. Não tenho palavras para descrever a emoção que vemos em cada rostinho, em cada sorriso. Nosso intuito é marcar o coração de cada um, mostrando que existem pessoas boas. Elas veem muitas coisas horríveis; queremos dar esperança ao coração dessas crianças”, diz Alex Montovanelle de Sousa, 32 anos, empresário e um dos coordenadores do projeto Por um Natal Diferente.

Um pedido especial

“O fim de ano sempre foi minha época preferida e agora ele tem um significado ainda maior, pois no ano passado meu namorado me pediu em casamento. Foi um pedido simples, estávamos só ele e eu. Nós já namorávamos há dois anos e o assunto casamento era recorrente, mas ele não tinha feito um pedido formal. Não que precisasse, mas foram juras de amor sinceras, que mexeram comigo. Naquele momento percebi que a partir daquele dia passaria todos os meus Natais com ele. Não quisemos esperar muito e em seis meses nos casamos”, conta Luana Costa, chocolatier, de 32 anos, esposa de Gustavo Silva.

Festa-surpresa

“Eu me casei em 12 de dezembro de 1988. Em 2013, completamos 25 anos de casamento, mas não planejamos nada especial. Para minha surpresa, meu marido Valdir e minhas filhas Carolina e Maysa organizaram um pequena cerimônia de renovação de votos para nossas Bodas de Prata. A ideia era aproveitar a ocasião do Natal, quando toda a família está reunida, para celebrar nossa história como casal. Foi muito emocionante! Nem pude acreditar que eles haviam preparado uma festa para mim. Sem dúvida foi o Natal mais especial de todos”, afirma Janete Mota, professora aposentada, de 54 anos.

Um presente a cada ano

“Nosso Natal mais inesquecível foi o de 2012, ano que a Clara nasceu. Foi quando passamos de um casal para uma família ‘de verdade’. A partir desse momento tudo mudou completamente. Antes nem decorávamos a casa, não nos preocupávamos tanto caso não estivéssemos com a família. Após o nascimento dela, passamos a ver a data de outra maneira. Damos prioridade total às reuniões em família, principalmente após a descoberta da paralisia cerebral. O Natal é o momento de olharmos para trás e agradecermos todas as conquistas e evoluções que a Clara teve naquele ano. Temos a certeza de que cada Natal que virá será o melhor de todos, principalmente aquele em que o Papai Noel presentear nossa filha com a capacidade de andar”, prevê Luciana Prudente de Carvalho, professora, casada com Rodolfo Vieira Mendes, ambos de 35 anos, pais de Clara, 3 anos, que possui um tipo de paralisia chamada Leucomalácia Periventricular Bilateral.

(Fotos: Arquivos pessoais)