Obesidade Infantil Não

O combate contra a obesidade infantil começa em casa

Por Patrícia Cerqueira
@Comida Boa Muda Tudo

Do aleitamento materno ao menor consumo de alimentos ultraprocessados, as medidas de controle são feitas pelos adultos

O combate contra a obesidade infantil começa em casa

A obesidade é o mal do século XXI e afeta todos sem distinção. O peso excessivo atinge de criança a adultos, nos países ricos e nos em desenvolvimento, caso de Brasil, Índia e China. Em nosso país, por exemplo, os dados são alarmantes. 

Segundo o Ministério da Saúde, chega a 33,5% o percentual de brasileiros, entre 5 e 9 anos, com excesso de peso. Isso significa que 1 em cada 3 crianças está gordinha. 

Todo mundo sabe que o excesso de peso na infância gera uma série de problemas para a criança, de sociais a psicológicos, além, claro, da saúde.

Por isso, é importante tomar algumas medidas desde cedo e fazer com que a criança seja alimentada de maneira correta em todas as fases da vida:

  1. Ainda na gestação, a mãe deve evitar o consumo exagerado de alimentos ultraprocessados, os principais vilões no excesso de peso. Isso porque já existem estudos comprovando a ligação entre o excesso de peso materno com o peso a mais do filho.
  2. Amamente o bebê no seio. Já está comprovado que o leite materno tem efeito protetor contra uma série de doenças, inclusive a obesidade infantil.
  3. Não ofereça alimentos industrializados processados ou ultraprocessados até os dois anos de idade. Criança tem de comer fruta in natura, legume in natura, além de arroz e feijão. Pode parecer difícil, mas não é. Bastam os pais adotarem uma alimentação mais natural para que o filho se acostume com esse exemplo.
  4. Faça lancheiras saudáveis, sem doces e tranqueiras.
  5. Criança bebe água. Se o adulto oferecer refrigerante, ela vai aceitar. Então, para quê oferecer uma bebida que tem mais 50% de sua composição feita de açúcar? Para engordar a criança?
  6. Evite oferecer sucos de caixinha porque eles também têm excesso de açúcar. 
  7. Dê o exemplo. Coloque mais verdes no seu prato, coma menos, mexa-se mais. Pais que adotam um estilo de alimentação mais saudável e natural dificilmente têm filhos obesos.
  8. Coma menos doces, pães e comida ultraprocessada e, caso o filho esteja com excesso de peso, reduza as quantidades de comida ultraprocessada oferecida a ele.
  9. Busque ajuda e se informe. Há diversos serviços de orientação nutricional muito legais, um deles é o site Obesidade Infantil Não, mantido pela Amil, com diversas informações importantes e várias orientações.
  10. Coma junto com seu filho à mesa e sem distrações, como TV, tablets ou celular ligados. A refeição é o momento de dar um tempo para tudo que está ao redor e se voltar para a família. Sem distração, a gente come menos e saboreia mais.
  11. Cozinhe com as crianças. Os pequenos tendem a comer melhor quando participam da execução dos pratos.

 

Se você quer saber se seu filho ou filha está com peso considerado ideal, no site Obesidade Infantil Não, da Amil, tem uma ferramenta bem legal para calcular se está tudo bem.

E não se esqueça: o combate à obesidade infantil começa em casa, desde a sua gestação!

Beijos,
Patricia

* PUBLIEDITORIAL

(Foto: Getty Images)