Pets

Dois cachorros em um apartamento

Por Karen Bachini

Porque depois do primeiro filhote, a vida só fica completa com… Mais um filhote!

Dois cachorros em um apartamento

Parece que foi ontem que eu escrevi um texto apresentando o Vader para vocês e contando sobre a minha decisão de ter um cachorrinho. De lá pra cá, passou tanta coisa e eu acabei gostando tanto da experiência, que ele ganhou até um irmão postiço! Pois é… Logo eu que morria de medo de ter cachorro morando em apartamento, agora tenho dois pra fazer bagunça, comer, brincar e passear por aí.

Dois cachorrinhos totalmente diferentes, mas totalmente fofos e companheiros, que agora se dão muito bem… Mas só agora rs!

O novo morador aqui de casa é um Spitz Alemão laranjinha, que parece uma raposa, mas ganhou o nome de Chewbacca, para fazer companhia para o Vader, o Pug, que vive comigo desde que ainda era um bebê. 

Quando o Vader chegou aqui, era como se eu tivesse acabado de ter um filho, ou seja, eu fiquei apavorada! No começo não sabia direito o que fazer, o que era errado, o que ele podia comer, o que o deixava feliz… Foram muitas descobertas!

Mas, ao mesmo tempo, foi um processo tão delicioso que eu me apaixonei por ter cachorros e decidi que eu queria aprender e viver isso o máximo que eu pudesse, então, quando o meu primeiro filhote cresceu, achei que já era hora de ter mais um. 

É claro que no começo a gente sempre fala que o segundo cachorro é apenas para fazer companhia para o primeiro, mas no fim das contas, eu queria muito e só falava disso. Então, na primeira oportunidade que apareceu, o meu namorado fez uma surpresa para mim e o Chewbacca chegou aqui em casa, ainda filhotinho, há uns 3 meses.

O mais curioso é que, quando o Vader veio morar comigo, ele passou por um longo período de adaptação, tanto que nos primeiros três dias ele mal tinha contato comigo, ficava super na dele, escondidinho, com medo de tudo. Aos poucos, foi se soltando, se a acostumando comigo e com a casa nova.

Mas com o Chewbacca foi muito diferente!

Nem consigo entender como isso é possível, mas assim que ele chegou, já ficou muito à vontade, não desgrudava de mim e agia como se sempre tivesse morado aqui… Tanto que ele começou a brigar com o Vader, querendo todo o espaço para ele.

Nem preciso falar que eu fiquei muito chateada e preocupada com essa reação, né?

É claro que eu queria um novo cachorrinho em casa, mas isso só seria legal se fosse uma experiência agradável para o Vader também e, até então, eu não tinha pensado que algo diferente poderia acontecer e que, eventualmente, eles não se dariam bem - porque o Vader se dá bem com todos os cachorros! O problema era o Chewbacca mesmo, que tem uma personalidade muito diferente.

A primeira coisa que me passou pela cabeça, sinceramente, foi conversar com a criadora do meu novo filhote para que ela procurasse um novo dono para ele, porque eu realmente achei que eles não fossem se dar bem. Mas como eu já tinha passado por muitas coisas com o Vader e, no fim, deu tudo certo, resolvi pedir uma opinião profissional e foi aí que os adestradores entraram na minha vida! Aliás, foi a melhor coisa que eu já fiz.

A adestradora que eu procurei me explicou que, na verdade, essa reação que o Chewbacca e o Vader tiveram é normal e que tudo melhoraria quando ambos entendessem que não precisavam competir por nada, que os dois teriam os mesmos privilégios e que, quando estão juntos, coisas legais acontecem.

Baseado nisso, ela planejou várias atividades que eles fazem até hoje, como passeios, brincadeiras e momentos que transmitem exatamente esses valores aos cachorros, para que eles se tornem companheiros naturais, sem que eu precise forçar a convivência entre eles.

Tá certo que, falando assim, pode parecer algo complexo… Ou talvez superficial demais, mas o impacto que esse adestramento teve, tanto no Vader como no Chewbacca, foi muito positivo e realmente me surpreendeu.

Agora, além de conviverem juntos, os dois se tornaram mais disciplinados; é como se eles tivessem feito terapia! rs

No fim das contas, a minha aventura de ter mais um cachorrinho deu supercerto e o meu maior medo, que era não ter espaço suficiente para eles, em nenhum momento se tornou uma real preocupação.

Mesmo em um apartamento com um quintal pequeno, eles têm espaço para brincar, conseguem correr bastante e ainda, quando chove muito e não dá para fazer um passeio, eles não ficam estressados.

Tudo o que eles precisavam era de um pouquinho de disciplina e, com o adestramento, a harmonia hoje reina aqui em casa… Pelo menos até o próximo filhote! :)

(Foto: Arquivo pessoal)