Carreira

Casamento e crescimento profissional podem ser aliados?

Por Samantha Shiraishi
@maecomfilhos

Dois dias de imersão no Women’s Forum Brazil 2014 me deixaram com essa pergunta e muitas respostas para avaliar o que nossa geração tem feito para conciliar o que parecia divergente, transformando essa mistura em realização pessoal

Casamento e crescimento profissional podem ser aliados?

Meu post de estreia aqui no Babble foi sobre a minha parceria com meu marido (e sócio) nos cuidados com os nossos 3 filhos, focando na bebê e nos compromissos de trabalho que temos e conciliamos. Esta presença das mulheres no mercado de trabalho tem feito uma diferença substancial na estrutura de vida pessoal e corporativa de muita gente. Mas como as lideranças femininas podem contribuir para a criação de uma economia próspera para toda a sociedade?

Comecei a semana com essa pergunta na cabeça e (felizmente) muitos caminhos para respondê-la. A discussão foi parte do Women’s Forum Brazil 2014, evento que aborda questões fundamentais para o Brasil e para a América do Sul partindo da atuação das mulheres como influentes agentes de transformação social e econômica.

Um tema me lembrou muito a visão que temos por aqui:

Casamento e crescimento profissional podem ser aliados?

Ao ver reunidas grandes executivas, como Andrea Menezes (Chefe do Escritório de Representação do Standard Bank no Brasil), Vivien Rosso (CEO do Grupo Fleury), Paula Tavares (Coordenadora do Programa Mulher, Negócios e Leis do Banco Mundial) e Camila Morsch (da ONU Mulheres) apresentando seus pontos de vista e vivências em relação ao assunto, quis trazer o debate para cá!

Ainda tem quem duvide que é possível conciliar, mas nós, as blogueiras do Babble Brasil, somos exemplos de que podemos fazer mais, desempenhando as várias funções sem chafurdar na culpa ou se descabelar tentando ser perfeita.

Ao ler os posts das outras mães daqui, sinto que essa característica marcante das mulheres (ser multitarefa) se apresenta com mais força quando nos tornamos mães e é um “talento” que incorporamos e nos faz melhores em todas as outras funções sociais que desempenhamos.

Mas ainda há quem fale que é complicado conciliar sucesso no trabalho e casamento. No começo deste ano li um livro que mostra como as mulheres e homens da nossa geração estão ganhando este jogo de um jeito inusitado: as mulheres estudam mais e encontram satisfação nas suas carreiras, enquanto os homens sentem-se livres para escolher o que querem fazer, pois agora não vivem mais sob o peso de serem os únicos provedores.

Em O Sexo Mais Rico, a jornalista americana Liza Mundy nos enche de pesquisas e histórias reais para contar o que, no fundo, a gente já sabia: somos mais ricas porque entendemos o mundo como um todo, contabilizando muito mais do que dinheiro, prêmios ou sucessos.

Mesmo assim, quantas vezes achamos que não vamos conseguir equilibrar uma vida familiar feliz com o cônjuge e entregar resultados satisfatórios no trabalho? E quem deseja abrir mão de um ou outro ao lidar com as pressões familiares e da sociedade, não é mesmo?

Como tem sido por aí? Conte para nós!

P.S. Veja também o post do Dia da Mulher, no qual homenageamos 5 brasileiras que se movimentam em favor de causas diversas e sobre as mães empreendedoras e a "revolução silenciosa" que está acontecendo no nosso país.