Comportamento

Eu só queria comprar um...

Por Patrícia Cerqueira
@Comida Boa Muda Tudo

Quando comprar algo se torna um tormento por conta da quantidade e variedade de um mesmo produto (caso de escova de dentes ou um bacon!)

Eu só queria comprar um...

Este post é um desabafo. Tenho tido cada vez mais preguiça de ir às compras. Ao invés de saborear aquela sensação boa de ter adquirido algo que estávamos precisando, tenho me sentido frustrada em não conseguir escolher entre as várias opções daquilo que havia me proposto comprar.

O motivo? O simples fato de que a oferta é muito maior do que a minha expectativa. Eu vou em busca de algum produto e, quando chego ao estabelecimento comercial, não encontro. Na verdade não encontro aquele que tinha escolhido. São sempre opções com muito mais do que eu imaginava, como não conheço, acabo desistindo.

A última vez que isso aconteceu foi quando tive de comprar uma escova de dentes para o Miguel.

O menino precisava apenas de uma escova para o tamanho da boca de dele, porém, me vi diante uma prateleira com pelos menos 10 modelos diferentes. Isso mesmo. Nada menos do que 10 modelos diferentes!

Para piorar o meu desalento, eu não estava em um lugar especializado em escova de dentes. Nãoooo! Eu estava dentro de uma farmácia! Lugar onde a oferta de escova de dentes costumava ser normal, ter duas ou três marcas com o mesmo modelo.

Agora temos a de cerdas finas, longas, transversais... Com tamanho ajustado para a idade, com cabo emborrachado e ponta arredondada, ovalada. Nas cores do arco-íris. Para escovar dentes dos fundos, para os caninos ou os frontais. Um oceano de ferramentas bucais.

Aliás, a boca, se olharmos para a quantidade de produtos disponíveis para cuidar de sua saúde, é o lugar mais infecto do nosso organismo. Já viram quantos produtos? 

Pasta de dente para o dia, para a noite, para a madrugada. Com cristais azuis, brancos, rosas. Enxaguante com álcool, sem álcool, que desvenda os pontos críticos mal escovados. Fio dental com variados sabores. Fita dental. Pasta que promete deixar os dentes impecáveis.

Além disso, a recomendação é que devemos a cada seis meses ir ao dentista! Realmente nossa boca deve ser um antro de bactérias terríveis!

Ai, que preguiça dessa vida de excesso de oferta! Por que tanto? Eu realmente não entendo a lógica do capitalismo. É muito produto. Será que vende tudo. Ou muita coisa vai para o lixo!?

Outro dia quase caí sentada no chão do supermercado ao me deparar com uma gôndola de geladeira praticamente inteira apenas de bacon. Não era aquele bacon tradicional que eu estava acostumada.

Tinha bacon sabor costela, sabor cupim. Bacon em tiras, em cubos, em rodelas fatiadas. Com osso. Não entendi como um bacon pode ter osso. Importado. Nacional.

Eu amo bacon, mas confesso que quase desisti de comprar tamanha a quantidade de oferta. Nem vou citar os iogurtes, os biscoitos ou sucos para não começar a chorar e desistir de vez de ir ao supermercado.

Por conta da infindável oferta, eu não tenho a menor paciência para fazer compras online. Demoro mais na frente do computador do que para ir e voltar do supermercado e guardar as compras.

O capitalismo me deixa perdida e ressabiada. Desconfio que uma quantidade considerável de tudo que é produzido do mundo acaba desperdiçada e jogada no lixo, mesmo tendo muitas empresas produzindo apenas a demanda.

Será que estou sozinha? Será que sou a única?

Beijos,
Patricia

(Foto: Arquivo pessoal)

comentarios consumo