Comportamento

Quando você descobre que seu filho é egoísta

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Seu pequeno não gosta de emprestar nada? Briga com as outras crianças durante as brincadeiras? Saiba como lidar com a questão

Quando você descobre que seu filho é egoísta

Sabe aquele bebê risonho, para o qual você joga a bolinha e ele te retorna o objeto, com a maior animação desse mundo? Pois é... Um belo dia, inevitavelmente, acontece: quando você pede que ele a jogue de volta, o filhote faz cara de bravo e solta seu primeiro: “É meu!”. O coração da mãe quase para – como é que ele aprendeu isso?

Conversando com muitas mães, e também por experiência própria, sei que em uma determinada fase da primeira infância os bebês entendem a questão da propriedade e passam, então, a exercê-la, recusando-se a emprestar seus objetos.

Alguns com menos intensidade, outros com uma voracidade que deixa os pais preocupados - o fato é que é o filhote “bonzinho” e cordato dá lugar a um ranzinza irritado, a ponto de você se perguntar se está fazendo algo de errado para que seu filho se torne egoísta.

Em primeiro lugar, eu gostaria de dizer: não, não há nada de errado com seu filho. E assim como ele, as outras crianças pequenas também manifestam o mesmo tipo de comportamento.

Mas é o trabalho diário, constante dos pais, que ajudará ou dificultará o processo de entendimento que, na vida em sociedade, é preciso (e é muito bom!) saber dividir.

Se você está passando exatamente por essa fase com seu filho, vale dar uma olhada nas dicas que separei:

  • Estimule o exercício de troca: no início, pode ser mais fácil para o bebê trocar do que emprestar. Mas o simples hábito da troca já o ensina a abrir mão de algo que o pertence, para conseguir o outro objeto. E isso já é um primeiro passo.
  • Mostre como crianças mais velhas fazem: desde pequeno, o bebê deseja se desenvolver e alcançar o estágio dos maiores. Por isso, quando você explica que crianças de mais idade sabem emprestar e brincar sem brigar, ele entenderá a mensagem (mesmo que você precise repetir mil vezes!) e isso será um estímulo para que mude seu comportamento.
  • Dê o exemplo: como mãe ou pai, você está acostumado a dizer: “Não pode pegar, isso é da mamãe (ou do papai)". Claro que você pode continuar a dar o limite de que seu filho precisa, mas aproveite também para mostrar o oposto – que emprestar faz parte do convívio. Pegue um objeto seu que não possa ser quebrado ou estragado e brinque de emprestá-lo ao filhote. Assim ele perceberá que pode fazer o mesmo.
  • Também fora de casa: seu bebê está atento a tudo. Por isso, demostrar generosidade fora de casa é tão importante quanto dentro. Deixe que ele veja você separar objetos para doações, ceder seu lugar para uma pessoa que esteja precisando. E mostre que o resultado é bom para todos: para quem recebe e para quem dá.

 

(Foto: Getty Images)