Comportamento

Quem tem medo de bruxa?

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

A reação de minha filha Catarina às bruxas dos desenhos animados

Quem tem medo de bruxa?

Quando pequena, eu morria de medo das bruxas de desenhos animados, confesso. A cena da Rainha Má, de Branca de Neve, se transformando na (horrorosa) velhinha que leva a maçã envenenada, de Malévola amaldiçoando a Princesa Aurora ou de Úrsula persuadindo a Pequena Sereia a fazer um pacto para dar sua voz em troca de pernas me causava arrepios! Demorei um bom tempo para assistir aos filmes completos, sem fechar os olhos para os momentos de maior impacto. E imaginei que com minha filha fosse acontecer exatamente o mesmo.

O primeiro desenho animado que mostrei à Catarina foi Cinderela, justamente porque não havia bruxa na história (e a madrasta me parecia mais fácil de encarar pela pequena). Claro que ela pediu para que eu passasse algumas cenas nas primeiras vezes em que assistiu; mas aos poucos começou a se mostrar indiferente à vilã. "Que bom, um primeiro passo", pensei. Mas as bruxas ainda não haviam aparecido, e o processo tenderia a ficar mais difícil.

Seguimos então para Branca de Neve, e para minha surpresa, Catarina ficou vidrada no filme. Sim, ela gritava, me abraçava, mas ao mesmo tempo ria, maravilhada pela animação! Em nada se parecia com a menininha assustada (eu) que tinha visto o mesmo filme trinta anos antes.

E então veio Malévola, e essa assustou bastante! No momento em que ela se transforma no enorme dragão, minha pequena gritava:

- "Mãe, estou com medo!"

- "Então eu vou passar essa parte, filha"

- "Não, não, deixa, deixa!"

- "Mas, filha, se você está com medo a mamãe tira, não precisa ver agora"

E quanto mais eu insistia em tirar a cena, mais Catarina queria assisti-la. E quando terminou, quis ver a segunda, a terceira, a quarta vez! Eu não entendia porque ela fazia aquilo, afinal, estava visivelmente assustada. Até que na última vez ela me disse:

- "Mãe, agora pode parar o filme. Você sempre me diz que a gente precisa enfrentar os medos. E hoje eu fiz isso! Eu sou a Princesa Valente!"

Essa é a nova geração de mulheres que estamos trazendo ao mundo. E quer saber? Elas irão muito mais longe do que nós fomos!