Educação e Desenvolvimento

Como achar uma escola parceira

Por Daniela Folloni
@blogitmae

Dicas para quem busca um local que faça diferença na educação dos filhos

Como achar uma escola parceira

Não é tarefa fácil para nenhuma de nós escolher, entre tantas opções, o lugar onde nossos filhos vão passar boa parte do dia (às vezes em período integral) sendo orientados, cuidados e educados por pessoas que ainda nem conhecemos. Dá frio na barriga e surgem muitas dúvidas. Mas posso me considerar uma mãe de sorte quando se trata de escola dos filhos. Tive e tenho o que acho essencial: parceria na educação das crianças. E acredito que, cá pra nós, não foi apenas questão de sorte. Desde o momento da escolha da escola como depois, no dia-a-dia, algumas atitudes me ajudaram a estabelecer essa conexão. E é isso o que quero compartilhar com você aqui:

- Na hora de conhecer a escola, avalie quem apresenta o espaço e a metodologia. É uma pessoa preparada, que realmente conhece o dia a dia com as crianças e sabe explicar como é a rotina e os valores da escola? É atenciosa e próxima? Tem um discurso verdadeiro ou está apenas falando palavras bonitas para que você faça a matrícula? A pessoa que a escola escolhe para apresentar o espaço para os novos pais já diz como é a relação que estabelece com eles.

- Vale procurar se informar sobre como é a comunicação com os pais ao longo do ano. Agenda? Conversas na porta da classe? Os pais podem entrar no espaço da escola (na sala de aula, no parquinho, etc.) para ver a rotina das crianças? E também peça referências para pais que já têm o filho na escola. Para saber se realmente o que é dito na teoria se aplica na prática.

- Visite a escola inteira, de preferência em um horário de aula. E acione o radar para observar como os professores se relacionam com os alunos. Em uma das minhas visitas, uma escola perdeu pontos porque vi uma assistente falando com um criança em um tom ríspido e desnecessário. Em outra, vi que em uma das salas (nesses sobrados adaptados), bem no meio passava um ralo. Achei pouco higiênico.

- Não descarte escolas que solicitam mais a participação dos pais. Sei que a vida é corrida e que nem sempre dá para estar presente. Mas ver que a escola dá espaço para você e, mais do que isso, quer que você esteja lá, é um sinal de que ali existe uma ambiente de troca e parceria.

- Se quer estabelecer uma relação de proximidade com o professor do seu filho, demonstre interesse. Não seja passiva. Pergunte como ele está nas aulas e divida os episódios que acontecem em casa que podem ajudar a desvendar, por exemplo, o motivo de um comportamento da criança em sala. Essa troca tem que ser uma via de mão dupla. 

(foto: arquivo pessoal)