Educação e Desenvolvimento

Como dizer "não" sem culpa

Por Daniela Folloni
@blogitmae

O que essa palavrinha, se bem empregada, é capaz de fazer pelo futuro do seu filho?

Como dizer "não" sem culpa

Ser mãe é precisar dizer a palavra 'não' para nossos filhos muitas vezes. A gente vive ouvindo e lendo por aí: é preciso dizer não para colocar limites, crianças não podem crescer mimadas, acostumadas a ter tudo nas mãos. Até aí nenhuma novidade.

Entre os nãos mais difíceis de dizer, acredito que está o não para satisfazer os desejos imediatos das crianças.

Quem nunca sucumbiu a um pedido de um filho em uma loja de brinquedos? Ou até mesmo, por mais que não tenha dado o presente, ficou se segurando para não abrir a carteira e matar logo aquela vontade? Quem nunca deixou comer um docinho fora de hora?

Sim, a gente se policia para seguir o discurso de que não podemos criar crianças consumistas, que banalizam o ato de ganhar presentes, nem crianças indisciplinadas que não sabem seguir regras, mas lá no fundo fica a pergunta: será que faz tanto mal assim?

Estamos vivendo uma época em que nós, adultos, precisamos muito de momentos de autoindulgência. Queremos nos permitir ter mais prazer, relaxar. Estamos cansados com tanta pressão, tantas cobranças por resultados e, sim, isso gera uma vontade doida sair quebrando regras e ser feliz. E se a gente busca proporcionar a si mesmo momentos prazerosos (mesmo quando não quebra regras), por que agiríamos de forma diferente com nossos filhos?

Entre as mais diversas respostas que já obtive para essa questão, a que mais me convenceu foi a da psicóloga infantil Daniella Freixo de Faria, que conheci em uma palestra. Resumindo a explicação dela: o "não" é importante para construir no filho o aprendizado da conquista. Quando você satisfaz imediatamente o desejo de um criança por um presente, você ensina para ela que basta querer para ter. O cérebro dela não vai aprender a construir um espaço de tempo entre desejar e ter. E essa construção é muito importante para que ela seja um adulto capaz de construir uma vida em bases sólidas, sem tanta ansiedade para ter sucesso imediato. Se acostumar desde pequeno a dar tempo ao tempo, a fazer por merecer, ajuda, por exemplo, a desenvolver nos pequenos a mente de um empresário, que começa pequeno e tem que trabalhar muito para construir um império.

Quando a criança aprende a prorrogar a satisfação desde cedo, ela não vai sofrer se os resultados demorarem a acontecer em sua vida. Ao contrário: vai entender que tudo isso é parte do processo.

Indo além, crianças que aprendem a lidar com o não desde pequenas são menos frágeis emocionalmente e ainda desenvolvem a criatividade para se virar nos 30 quando as coisas não acontecem como o desejado.

Por mais que a gente queira que tudo dê certo na vida dos nosso pequenos, sabemos que o mundo adulto está cheio de surpresas desagradáveis. Eles precisam aprender a lidar com isso sem sofrer tanto. Olhando dessa forma, dizer não deixa de ser um ato disciplinador dos pais. Se torna uma atitude de quem olha para o futuro e quer que seu filho esteja preparado para tirar de letra as dificuldades que encontrar pela frente.

(Foto: Getty Images)