Educação e Desenvolvimento

Livros infantis para estimular a boa consciência negra

Por Samantha Shiraishi
@maecomfilhos

Que tal formar uma biblioteca infantil com obras que vão além da questão do preconceito e da inclusão, ajudando a formar a personalidade com uma boa consciência étnica, reforçando a identidade e cultura familiar?

Livros infantis para estimular a boa consciência negra

Costumo dizer que meus filhos são uma salada-russa em termos de raízes étnicas. Meu pai é filho de japoneses, minha mãe neta de alemães-russos e portugueses. Do lado do meu esposo são todos ibéricos, italianos, espanhois e portugueses. Assim, como eu, os três são o retrato de um Brasil plural, moreno, resistente e resiliente.

Apesar da mistura, saí muito oriental e sempre fui meio diferente no grupo. Eu só me “entendi e descobri” fisicamente e psicologicamente quando morei no Japão: fui para lá recém-formada na faculdade, já adulta, e, de repente, as pessoas eram da minha (pouca) altura, as maquiagens adequadas para a minha cor de pele, os xampus todos adequados para meu cabelo liso e escuro.

Por isso hoje em dia eu reforço para amigos que experimentem uma imersão em seus legados culturais e dêem aos filhos estas chances incríveis de aprendizado sobre a formação da personalidade.

No feriado de 20 de novembro, eu estava “conversando” no Facebook sobre o Dia da Consciência Negra e lembrei de uma lista especial que um casal de amigos virtuais fez para a filha, que nasceu um pouco antes de minha caçula, Manuela. Marcus Vinícius Bonfim e sua esposa, Thaísa, reuniram livros infanto-juvenis com personagens negros e negras pra explorar a diversidade e oferecer à filha Maria Júlia, mais opções de leitura com a temática negra, reforçando a sua identidade.

O mais legal é que eles tornaram esta lista pública, permitindo que outras famílias se apropriem dela e criem suas bibliotecas étnicas também, pensando além da questão do preconceito, da inclusão, e sim da formação da personalidade e da boa consciência negra, me lembrando muito do que significou para mim “me descobrir amarela” quando fui morar no país dos meus avós.  

A seguir listo 5 das obras que mais me encantaram e deixo o convite para que também indiquem as suas nos comentários.

 

1
Cabelo ruim? A história de três meninas aprendendo a se aceitar (de Neusa Baptista Pinto)
A descoberta da beleza própria e a auto-aceitação são o assunto central deste livro. A história da amizade entre três meninas negras e pobres, que enfrentam as manifestações preconceituosas com relação ao seu cabelo crespo e vão, aos poucos, aprendendo a aceita-lo, a brincar com ele e amá-lo do jeito que é. Surgem novos penteados e com eles também novas formas de ver a si e ao outro, coragem e ousadia para fazer e ser diferente.
2
Luana - as sementes de Zumbi (de Aroldo Macedo)
A menina Luana acorda no meio da noite com um barulho que só depois identifica ser o som dos tambores que a chamam de 'esperança de Palmares', 'esperança das sementes de Zumbi'. Sabendo que Cafindé, lugar onde mora, é um remanescente de quilombo, ela toca seu berimbau mágico e se transporta para Palmares, à época em que era liderado por Zumbi.
3
Menina bonita do laço de fita (de Ana Maria Machado)
Livro delicado, querido e um dos primeiros que conheci e que tratavam desta temática. Nesta história o coelhinho branco quer ter uma filha pretinha como aquela menina do laço de fita. Mas ele não sabe como a menina herdou aquela cor.
4
Lendas da África Moderna (de Rosa Maria Tavares Andrade)
Para quem quer ir além, este livro traz contos e recontos de lendas da África que permitem viajar e conhecer o continente do griô - menestréis contadores de histórias; do Mali - a visionária menina Kikuiu que ajudou a salvar o Quênia das fendas que se abriam no chão e tragavam tudo; de Madiba - a lenda que procurava resolver todos os conflitos pelo caminho da paz; entre outros.
5
O menino marrom (de Ziraldo)
Para fechar, um dos meus favoritos, que trata do tema com a leveza e o humor infantil de Ziraldo, um dos autores a pensar nas cores antes delas serem realmente discutidas em livros para criancas. Esta é a história de um menino marrom, mas fala também de um menino cor-de-rosa. São dois perguntadores inveterados e vão querer descobrir juntos os mistérios das cores. Serão muitas as perguntas e muitas serão as respostas.
comentarios