Educação e Desenvolvimento

Seu filho tem medo de que alguém que ele ama desapareça?

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Conheça um livro que fala sobre o tema de uma forma muito delicada - e tão inovadora que não sobra qualquer espaço para temores!

Seu filho tem medo de que alguém que ele ama desapareça?

Minha filha Catarina, quando estava prestes a fazer três anos, me pegou certo dia de surpresa ao perguntar se um dia eu morreria e se aconteceria o mesmo com ela. Nem nos meus maiores devaneios eu poderia pensar que uma criança tão pequena pensasse sobre o assunto, então acabei respondendo simplesmente a verdade - o que provocou uma crise de choro muito doída em seu coração (e no meu, como mãe, é claro).

Podemos pensar que não, mas os pequenos dessa geração estão ligados em absolutamente tudo o que ocorre ao seu redor, até em questões delicadas, como o fim da existência.

Por isso, quando me deparei com o livro infantil "Para onde vamos quando desaparecemos?", fiquei bastante intrigada com a abordagem que seria dada a esse tema, que é tão importante, e ao mesmo tempo tão difícil de ser apresentado aos pequenos. E não é que me surpreendi positivamente?

O enredo mostra que o aparecer e o desaparecer fazem parte do nosso cotidiano: o sol desaparece todos os dias (ou será que somos nós, humanos, que sumimos do sol?), as nuvens surgem no céu e vão embora (mas para onde? Elas retornam em forma de chuva!), a areia pode sumir de um local da praia e ir parar em outro canto. 

Outro ponto interessante: aos poucos, a criança vai percebendo que outros "desaparecimentos" são, na verdade, uma mudança de forma: a neve some e dá lugar à água. O barulho dá lugar ao som, as poças de água se transformam em nuvens. Não seria essa uma forma natural e tranquila de enxergar o fim de algumas coisas, e até mesmo das pessoas?

Ao final, o livro não apresenta uma resposta fechada para a pergunta do título. "Podemos terminar em lugares inesperados (como as meias). Podemos subir até o céu (como as poças de água). Podemos formar praias (como a areia). Podemos voltar outra vez (como as nuvens)...".

Para ler e filosofar com os filhotes!

Para onde vamos quando desaparecemos?
Texto e ilustrações: Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso (ambas portuguesas)
Editora Tordsilhinhas

(Foto: Arquivo pessoal)

comentarios crianças, filhos, livros, morte