Educação e Desenvolvimento

Vale a pena ter um tablet infantil?

Por Paula Rizzo

Um depoimento pessoal de uma mãe que não via isso com bons olhos...

Vale a pena ter um tablet infantil?

Eu, pela natureza do meu trabalho, estou sempre de smartphone na mão e muitas horas no computador. Amo tecnologia, compro gadgets com muito prazer, mas nunca me esforcei muito para iniciar as crianças nesse universo.

Sei o quão fascinante e hipnótico pode ser. Minhas filhas são pequenas ainda e achamos que elas têm mais é que brincar com brinquedos menos dirigidos, dando espaço ao faz de conta, e gastar energia ao ar livre. Além disso, elas vão ter muitas oportunidades mais para frente.

E, especialmente a mais velha, de seis, usa os nossos gadgets com joguinhos e filmes que escolhemos para ela. Porém, o gadget é nosso, ou seja, o controle do uso e das situações onde é permitido é mais intenso. 

No Natal do ano passado, meu primo, que mora fora do Brasil, veio passar as festas conosco e presenteou minha filha com um tablet. Era um modelo infantil, de uma marca focada em educação. Mas era um tablet. Só dela.

Confesso que a gente ficou meio sem ação num primeiro momento. Depois, fomos conhecendo mais e vimos que os aplicativos não são apenas interessantes e educativos, como poderiam ser uma boa ferramenta para desenvolver mais o inglês, visto que ela ingressaria em uma escola bilíngue ainda sem contato com a língua inglesa. E foi muito legal.

Baixamos uns aplicativos, compramos outros na forma de cartucho. E nem precisamos regrar muito o uso. Ela usa um pouco e esquece. Quando lembra, joga um pouco, brinca e depois deixa de lado de novo. Como tem câmera de foto e vídeo, às vezes solta um "espera um pouco que eu vou tirar uma foto disso" ou “ah, disso eu quero fazer um vídeo". Mas fica nisso. 

Tem sido uma experiência positiva. Se virasse uma mania, bastava controlar o uso. Uma das técnicas bacanas para isso é o controle do tempo de tela, sobre o qual eu falei aqui nestes dois posts: 1 e 2

Eu não tenho certeza se compraria um tablet para crianças na idade das minhas, mas o que quero dizer é que sim, pode ser bom. Com cuidado e atenção na escolha dos jogos, no tempo de uso, no tipo de interação, pode ser uma ferramenta de aprendizado e diversão.

(Foto: Arquivo pessoal)