Família

Nasce um bebê, nasce uma família

Por Daniela Folloni
@blogitmae

Avós, tios, sogros... todos ficam mais próximos com a novidade de uma criança. Veja como aproveitar essa fase de euforia sem perder o jogo de cintura

Nasce um bebê, nasce uma família

Quando nasce um bebê - especialmente o primeiro - nasce uma família toda ao redor dele. Não que você não tivesse uma família antes. Seus pais, irmãos, sogros, tios, cunhados sempre estiveram ali por perto. Mas certamente eles marcarão muito mais presença na sua casa, na sua vida e isso pode ser ótimo, divertido, mas talvez exija jogo de cintura.

Claro, todos na família querem curtir o bebê - e têm direito a isso - mas a gente sabe também que não é nada fácil administrar as primeiras descobertas da vida de mãe com tanta gente ao redor. Mesmo que eles queiram ajudar, participar e curtir a condição de avós, tios... Aqui vão algumas dicas para lidar bem com essa fase (que passa, viu?) sem surtar e nem magoar ninguém:

- Fazer um combinado com o marido de terem momentos a sós com o bebê para vocês três entrarem em sintonia e se tornarem uma família autônoma. Quanto mais confiantes e unidos ficarem de que podem dar conta do recado - leia-se, do filhote - mais fácil será administrar possíveis interferências além do necessário.

- Um bebê traz felicidade para a família inteira. E um dos aprendizados é saber que a criança nasce para o mundo e para todas as relações. Então, faz parte ficar mais junto de todos, almoçar mais vezes no fim de semana e até voltar a fazer viagens com os seus pais.

- Mesmo dando todo direito de a família participar da vida do seu filho, você não precisa deixar a porta da sua casa aberta 24 horas. Há momentos em que não, você não vai poder receber visitas, e é importante estabelecer limites dentro do viável na sua rotina. Aos poucos, a euforia passa e tudo entra nos eixos.