Família

Os conselhos sobre filhos que você deveria ignorar

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Depois do nascimento do bebê, fatalmente você vai receber milhares de conselhos sobre como criá-lo. Alguns são úteis e outros não deveriam ser levados em consideração

Os conselhos sobre filhos que você deveria ignorar

Se você tem filhos, certamente já recebeu muitos conselhos sobre sua criação. Quando nasce um bebê, nasce também uma mãe (em geral, cheia de dúvidas: ou seja, um terreno fértil para a ação dos palpiteiros de plantão!), que ouvirá ao longo da vida milhares de ideias sobre como é a melhor maneira de se cuidar de um filho.

Esses pitacos vêm da mãe, da sogra, das irmãs, primas, amigas - gente que gosta de você e que provavelmente só quer ajudar - mas, que mesmo assim, pode não conhecer as recomendações profissionais mais atuais sobre cuidados com crianças.

Mas podem vir também de alguém que você nunca havia visto na vida - aliás, cuidado com as filas: elas são locais fantásticos para o aparecimento de palpites não solicitados!

Ao longo dos quatro anos de minha filha, já ouvi os mais variados conselhos, alguns de grande utilidade, que realmente me ajudaram nos cuidados com a pequena. Mas, claro, também ouvi verdadeiras "pérolas", que teriam me deixado louca se tivessem sido seguidos à risca!

A seguir, eu falo sobre alguns deles. Digo por experiência própria: avalie muito bem antes de segui-los! Ou corra o risco de errar feio com seu filho.

1) Colo estraga a criança!

Imagine que você chegou a um planeta estranho - você não pode falar, mal consegue abrir os olhos, não consegue andar e quase todas as pessoas são desconhecidas. O que você sentiria? Imagino que medo e uma vontade enorme de estar junto a alguém que você conheça e que pode lhe proteger - afinal, o que será que aquele mundo te reserva?.

E por que você acha que com um bebê é diferente? Claro que ele quer ficar junto da mãe, a maior referência de aconchego que ele tem quando nasce. Dar colo e amor não estraga um bebê, mas o contrário, sim. Ser privado de carinho no início de vida torna o ser humano inseguro, medroso, dependente. E, cá entre nós, o tempo em que um bebê quer colo dura tão pouco! Depois que ele começar a andar, é você quem vai querer pegá-lo e ele se esquivará de todas as maneiras!

2) Deixe-o chorar para aprender a dormir!

Eu sei que esse ponto é muito controverso e que há métodos que se baseiam no choro controlado do bebê para ensiná-lo a dormir a noite toda. Mas, sinceramente, minha opinião é que deixar um bebezinho ou uma criança chorar até a exaustão não ensina - apenas condiciona um filho a não chamar pelos pais (porque ele simplesmente desiste! Ele aprende que não será atendido, e por isso não chama!).

E o principal: eu acho que tal prática pode gerar efeitos psicológicos indesejáveis, que se manifestarão no futuro. Não estou dizendo que você tenha que correr ao quarto do bebê ao menor sinal de chamamento: deixá-lo resmungar por alguns minutos não fará qualquer mal - em casas com mais de uma criança não é exatamente o que acontece? Você está cuidando de um e o outro precisa aprender a esperar!

Mas analise muito bem se alguém aconselhar a deixar um bebê chorar por horas. Já imaginou se ele estiver doente e você não tiver percebido?.

3) Esse menino está muito magrinho. Engrosse o leite!

No passado, bebê gordinho era sinônimo de bebê saudável. Hoje em dia não é bem assim! Até os 6 meses de vida, a melhor forma de nutrição para o bebê é o aleitamento materno exclusivo - fórmulas artificiais e outros alimentos só devem ser incorporados à dieta com a recomendação expressa do pediatra!

Além disso, saiba que nos primeiros anos, o metabolismo de seu filho sofrerá condicionamentos que persistirão para o resto da vida. Se você não quer que ele seja obeso no futuro, cuide para que ele tenha uma boa alimentação desde o início. E diga não à obesidade infantil!

4) Não faz mal algum dar só um (refrigerante, bala, chiclete... complete a frase com comidas repletas de açúcar e baixo valor nutricional)!

Que um dia seu filho tomará um refrigerante, é muito provável. Mas que você permita que um bebê o tome em uma mamadeira, é muito diferente! Eu acredito que é dever dos pais oferecerem uma alimentação saudável, valorizando alimentos naturais e dificultando o acesso a coisas que nada agregam.

E dar "apenas um" também não é uma boa ideia: o consumo precoce de sacarose forja hábitos indesejáveis (ou você acha que seu filho vai querer suco natural sem açúcar depois de tomar o artificial adoçado?).

5) Seu filho está precisando de uma boa palmada!

As mães que estão na casa dos 30 anos sabem: em nossa infância, uma palmada era considerada uma solução para qualquer problema de comportamento infantil. Não obedeceu? Tapinha no bumbum. Fez birra? Idem!

Meus pais não compartilhavam dessa ideia, mas sei que a maioria de meus amiguinhos apanhou um bocado quando criança. Hoje está mais do que provado que violência gera violência - um filho que recebe um tapa quando pequeno é o mesmo que reproduzirá esse tipo de atitude quando adulto - com seus próprios filhos, no trabalho, com a esposa em casa, quando leva uma fechada no trânsito...

Conversar dá mais trabalho? Claro que dá! Mas, a longo prazo, dá muito mais resultado (torna seu filho mais forte, seguro e feliz!).

(Foto: Getty Images)

comentarios bebes, maternidade, conselhos