Moda e Beleza

Filho, um bom parceiro para atividade física

Depois que os bebês nascem a rotina de exercícios se torna uma meta quase inatingível para muitas mães. Mas é possível, sim, voltar ao antigo treino: basta incluir a cria no programa

Filho, um bom parceiro para atividade física

Vira e mexe pipoca um vídeo fofo na internet de mãe fazendo ioga, pilates ou outra atividade física com bebês. As mães se derretem e repassam à exaustão. Errado? De jeito nenhum.

Para o educador físico Marcio Equi, desde que a mãe realize as atividades com segurança – tanto para ela quanto para a criança – não há problema algum em incluir o bebê nos exercícios. A verdade é bem ao contrário.

“Quem estará fazendo o movimento é a mãe, portanto, o nenê não será o praticante do exercício. Além disso, as crianças se divertem; para elas é como se a mãe estivesse fazendo uma brincadeira”, explica.

No final das contas, mamãe e bebê saem ganhando: a mulher porque volta às suas atividades, a criança porque se diverte e ambos porque essa é mais uma forma de aumentar os vínculos.

Estela Maria Pereira é mãe do Arthur, de 1 ano e 10 meses. Ela é professora de Educação Física escolar e há anos faz exercícios. Ao engravidar, não seria diferente. “Treinei na academia até meados do sétimo mês, corria ou caminhava na rua. A gestação desenvolveu pubalgia em mim, então passei a fazer hidroginástica e hidroterapia”, conta.

Como Arthur nasceu de parto normal, com 18 dias de pós-parto ela voltou às atividades físicas. “Fazia alguns exercícios em casa mesmo, além de caminhada na rua. Quando meu filho tinha dois meses ele passou a frequentar a academia comigo, no carrinho. Eu ia em horário em que havia poucos alunos e, claro, o treino não passava de 30 minutos”, explica a mamãe.

Conforme Arthur foi crescendo, começou a fazer caminhadas e corridas com Estela pelo bairro, no carrinho. “Tentei ‘arrastar’ algumas mães comigo, mas algumas sem sucesso. Em outros casos, mães, mulheres e outros jovens se sentiram motivados a treinar. Ainda hoje na academia, Arthur é um pequeno atleta”, completa.

Quando Estela não conseguia ir à academia, ele usava o “peso” de Arthur em exercícios e movimentos, em casa mesmo: agachamentos, abdominais, exercícios para braços. “Hoje ele participa comigo, daquilo que, para ele, é uma deliciosa brincadeira”, argumenta a mamãe, que acredita no poder da atividade física como principal agente promotor da qualidade de vida.

E se você ainda está em dúvida em quais exercícios pode incluir na sua vida com a ajuda de seu bebê, confira nossas dicas abaixo.

(Foto: Getty Images)

1
Alongue-se
Antes de começar qualquer atividade é importante alongar-se. Aproveite que seu bebê está no carrinho e use isso a seu favor. Afaste as pernas, flexione o tronco para a frente e apoie as mãos no carrinho. Em seguida, projete o quadril para trás, alinhando a coluna e alongando a região posterior das pernas.
2
Caminhe ou corra
Depois do alongamento, pernas-para-que-te-quero. Saia com o bebê no carrinho pelas ruas do bairro ou selecione um parque para a atividade. Se você não se sente segura para correr, caminhe de forma vigorosa, empurrando o carrinho. Para as que arriscam a corrida, certifique-se de que o terreno não seja acidentado, para evitar que buracos e outros obstáculos causem acidentes. E lembre-se: seja caminhando ou correndo, o bebê deve estar com o cinto de segurança bem ajustado no carrinho.
3
Agache
Fortaleça a musculatura dos membros inferiores mantendo as pernas afastadas em uma amplitude maior que a dos ombros e quadris. Você pode fazer esse exercício com os braços apoiados no carrinho ou segurando o bebê: agache, flexionando os joelhos até formar um ângulo de 90 graus.
4
Mil e uma utilidades
O movimento de ponte é ótimo porque fortalece o assoalho pélvico ao mesmo tempo em que treina os glúteos, musculatura abdominal e coluna. E seu bebê vai se divertir. Deite com a barriga virada para cima em um colchonete. Afaste as pernas na largura do quadril e mantenha joelhos e pés alinhados. Coloque o bebê sobre a região do quadril e segure-o, mantendo o olhar dele para você. Em seguida, eleve o quadril, mas não force a coluna. Mas não se esqueça: para esse exercício é importante que seu bebê já tenha o controle de tronco e cabeça.
5
Barriga para dentro
Fortaleça a musculatura abdominal colocando os antebraços apoiados no chão e os braços afastados na largura da linha do ombro. Contraia o abdômen, mantendo quadril e coluna alinhados. Para facilitar, os joelhos devem estar apoiados no chão. O bebê pode ficar entre os seus braços, deitado em um colchonete limpo.
6
Panturrilha
Mais uma vez o carrinho é um forte aliado. Apoiada no carrinho do bebê, com as pernas afastadas na abertura do quadril e joelhos com leve flexão, eleve os dois calcanhares do chão e fique na ponta dos pés. Mantenha a postura ereta, ombros alinhados e o abdômen contraído.
7
De olho no muque
Aqui o aliado é o bebê-conforto. Com as pernas afastadas na abertura do quadril e os joelhos levemente flexionados, segure o bebê-conforto com uma das mãos e eleve o antebraço. Se o acessório for muito pesado, substitua por um saco de feijão.
8
Pedale
Sair pelas ruas do bairro ou passear em um parque de bicicleta não faz só bem para a saúde física como também para a mental. Providencie uma cadeirinha segura para o pequeno e aproveite os dias de calor para se exercitar, ao mesmo tempo em que passeia com o filhote. Isso vale para filhos maiorzinhos, sem esquecer, é claro, dos itens de segurança para você e para ele. Boa diversão!