Saúde e Bem-estar

Prós e contras de comer carne

Por Andrea Alves

A difícil hora de decidir o que colocar no prato

Prós e contras de comer carne

Os prós e contras de ser vegetariano ou comer carne em sua dieta têm sido discutidos com veemência pelos defensores de sua causa, às vezes até com certa violência. Mas para quem busca um estilo de vida natural, é preciso escolher entre um dos dois extremos?

Até os 26 anos fui assutadoramente carnívora, ao ponto de intimidar os garçons da churrascaria. Nunca a digestão da carne vermelha me foi fácil.

Por várias vezes dormi sentada e tomei diferentes tipos de remédios digestivos. Até que, após uma temporada de três anos morando em Porto Alegre (RS), onde a carne é um culto, me tornei definitivamente intolerante a ela. Passava mal mesmo.

Com o tempo e a assimilação da cultura yogi, fui gradativamente abandonando todos os tipos de carne, percebendo como meu corpo ficava bem e a digestão não era mais um problema. Pelo menos no início!

Após cinco anos de vegetarianismo, me tornei intolerante a grãos, uma anomalia digestiva não muito comum se comparada aos problemas com glúten e lactose que acometem a população. Mas o fato é que, deste ano em diante, nada mais de feijão, grão-de-bico, lentilha e afins.

Como faz um vegetariano que não pode comer grãos? Não faz!

O vegetariano depende das proteínas e outros nutrientes dos grãos para se manter saudável. Tive que voltar a comer peixe, pois só a ingestão dos ovos estava se tornando enjoativa.

Percebi depois de quase 10 anos nesse processo que meu corpo não gosta mesmo é dos extremos e que ser “natureba”, para mim, dependeria de uma boa dose de equilíbrio entre comer e não comer carne, um tabu no universo “natureba”, embora eu não tenha voltado a comer carne vermelha.

A carne em geral é importante fonte de proteína, vitaminas do complexo B e fonte de saciedade. Acaba sendo mais prática no dia a dia de quem não pode cozinhar todas as refeições (seja ela vermelha ou branca).

Em contrapartida, seu consumo pode aumentar o colesterol, o risco de câncer, dificultando a limpeza intestinal, o que pode trazer outras doenças a longo prazo.

Além da questão de saúde, o consumo de carne envole uma triste questão ambiental e social: um boi come por 60 famílias. Os grãos utilizados para produzir 240 g de filé poderiam alimentar 40 pessoas. Fora o problema com hormônios, antibióticos e produtos químicos usados na criação dos animais, bem como a emissão de gases dos mesmos e o gasto abusivo de água da pecuária.

A verdade é que, para a maioria das pessoas acostumadas ao forte sabor da carne, fica difícil conseguir apreciar apenas o paladar da culinária vegetariana.

Então, seguindo o caminho natureba do meio, você não precisa nem renunciar inteiramente ao prazer, nem se jogar nele com tanta força mas, sim, perceber com bom senso quando de fato precisa de um ou de outro e levar essa dinâmica para sua família.

(Foto: Arquivo pessoal)