Tecnologia

Divulgue seu negócio na internet

Criar um blog, uma página no Facebook ou alimentar redes sociais pode ajudar a espalhar o seu negócio pela rede e aumentar a clientela

Divulgue seu negócio na internet

Divulgar o seu trabalho na web já é a forma mais fácil e rápida de impactar pessoas. Apesar de a TV ainda dominar os investimentos do mercado publicitário com mais de 50% da verba gasta aplicada no formato (dados divulgados pelo projeto Inter-Meios em junho deste ano), é a internet que, de certa forma, se mostra mais eficaz na hora de prender a atenção do consumidor.

Segundo uma pesquisa divulgada pela eMarketer, 58% da população dos EUA já assistem a formatos publicitários on-line e a lembrança de marca em comerciais digitais, por exemplo, é de 50% – na TV, o número é de 27%.

Um vídeo, porém, não é a única forma de mostrar o seu trabalho ao mundo. Na rede, são vários os formatos que você pode investir para divulgar, conquistar novos clientes e expandir os seus negócios – mesmo que eles ainda sejam pequenos.

Mas antes de iniciar a divulgação na web, é preciso definir algumas informações básicas sobre o seu empreendimento para saber o melhor formato que você deve investir. Em maior ou menor escala, vale seguir o roteiro eficaz para garantir melhor performance.

“O primeiro passo é a definição do público-alvo majoritário e a realização de uma pesquisa de mercado. Entender exatamente a pessoa que será impactada pelo seu negócio é necessário para você definir a linguagem, formato e meio de divulgação. Feito isso, é necessário escolher uma estratégia de comunicação”, diz Márcio Carvalho, especialista em marketing digital.

Ou seja, é importante conhecer quem será seu cliente. Estabeleça diálogos, faça perguntas, levante dúvidas e descubra as expectativas dos futuros compradores.

Outro requisito básico é focar no consumidor. “É de suma importante você entregar o que ele espera e, ainda assim, o surpreender. É o que vai deixá-lo ligado em seu conteúdo, fazê-lo esperar a sua próxima postagem. É assim que se inicia a relação com a marca”, exemplifica o especialista.

Assim, todo o processo deve ser planejado para você não criar algo “do mesmo” na internet. É que a todo o tempo somos impactadas por muito conteúdo, volume que nem absorvemos. Por isso, ser relevante está cada dia mais difícil. “Qual o seu diferencial? Com quem você quer falar? Por que você está ali? Tendo essas e outras questões básicas resolvidas, você consegue estabelecer uma conexão”, afirma Carvalho.

O passo número 1

Você já é expert no que faz e sabe com quem quer falar. Com essas duas informações, pode começar a realizar a divulgação na web. Atualmente, existem algumas formas de fazer isso:

1. Crie um blog ou site

É o ideal para quem desejar criar alguma forma de conteúdo ao consumidor. Em um blog, por exemplo, você pode divulgar receitas exclusivas do seu serviço de culinária, mostrar futuras coleções da sua marca de roupa ou até divulgar pesquisas realizadas pela sua empresa. Em um site, pode colocar informações institucionais, galerias de imagens, agrupar vídeos e outros tipos de informações pertinentes ao seu consumidor.

Tome nota:

  • Crie um blog e o atualize com frequência. Um leitor se torna frequente quando ele sabe o ritmo de atualização de tal página. Se você posta todos os dias, ele deve voltar todos os dias para ler o que há de novo no espaço.
  • Comente nos blogs alheios. É um trabalho demorado e engenhoso, mas gera resultados ótimos. Em comentários, você acaba divulgando o seu blog e criando uma rede virtual.
  • Divulgue seu site em redes sociais.
  • Evite textos longos. Na internet, o consumo do conteúdo deve acontecer de forma rápida.

 

2. Crie uma fanpage no Facebook

É, atualmente, um dos formatos mais visados pelas grandes empresas. A rede social possui mais de 70 milhões de brasileiros inscritos e, de acordo com estudo realizado pela consultoria Burson-Marsteller, 52% das maiores empresas brasileiras estão no Facebook – com, em média, 515.000 seguidores cada uma. O espaço é ideal para você criar um meio de comunicação direto com seus clientes e, claro, realizar a divulgação de conteúdo e produtos.

O designer Bruno Legítimo criou uma fanpage na rede social para divulgar seus desenhos. Atualmente com quase 1 mil curtidas, a Bruno Rabisca já rendeu convites para exposições e até criação de estampas para uma loja on-line de camisetas.

“Antes eu só desenhava em um caderno e não era possível propagar o meu trabalho. Quando criei a página, percebi que as pessoas compartilhavam o que eu desenhava e isso logo me trouxe bons frutos profissionais. Além disso, a quantidade de pessoas que começaram a pedir desenhos e pagar por eles cresceu absurdamente”, conta.

Claudia Meira também apostou no Facebook para divulgar seus dotes na cozinha. A cada Natal e Páscoa, sua rotina vira uma loucura. “As pessoas começam a fazer pedidos pela fanpage no Facebook para ovos de Páscoa e panetones no Natal”, confessa.

“É engraçado, porque antes eu fazia um bolo aqui e outro lá. Nunca pensei que alguém de outro estado, por exemplo, iria pedir um bolo meu”, conta. No Facebook, sua página contém mais de 2 mil curtidas e, ali, ela compartilha fotos e cardápios para ocasiões especiais.

Tome nota:

  • Uma fanpage precisa ser atualizada frequentemente. Um ou dois posts diários são mais do que necessários.
  • Imagens possuem mais impacto do que texto no Facebook.
  • Faça uma triagem do conteúdo compartilhado. Poste somente o que vai interessar ao seu consumidor.
  • Não poste muitas vezes seguidas – em “internetês”, não faça “flood”.
  • Vídeos, podcasts e imagens do dia a dia da sua empresa (ou até making of) são bem-vindos.
  • A comunicação é essencial. Converse com seus clientes para atrais mais clientes.

 

3. Crie um perfil para sua marca no Twitter e/ ou Instagram

Quanto mais você usar as redes sociais para se comunicar com seus clientes, melhor. Criar um perfil corporativo no Twitter e/ou Instagram ajudam na hora de divulgar o seu trabalho pela rede. Tais plataformas, assim como o Facebook, são cruciais, devido ao fácil acesso por smartphones e tablets, cada vez mais usados.

4. Crie um canal no YouTube

Você pode não acreditar, mas vídeo é o formato queridinho da web no momento. O Brasil, por exemplo, é o segundo mercado consumidor de vídeos no YouTube. Por aqui, 100 horas de vídeos são mandadas ao site a cada minuto. Criar um vídeo, no entanto, pede dedicação.

Além de estar esteticamente bonito, com o áudio perfeito e conteúdo relevante, é preciso dedicar-se à edição do material e saber a hora certa para a publicação. É o conteúdo que possui mais chance de se tornar viral.

Tome nota:

  • Antes de começar a gravar vídeos para o YouTube, saiba que será necessário investir em um bom equipamento para a gravação. Câmeras e microfones são caros, mas essenciais para a criação de um conteúdo com qualidade.
  • Escreva o roteiro. Preparar-se antes de iniciar a gravação é crucial.
  • Cenário, maquiagem e produção também são itens que não devem ser esquecidos. Qualquer gafe pode fazer com que seu vídeo se torne viral pelos motivos errados.
  • Acompanhe a audiência do seu vídeo e do seu canal diariamente.
  • Comente em canais alheios e com temas parecidos ao abordados por você.
  • Compartilhe seus vídeos nas redes sociais.

 

5. Crie um portfólio virtual

Sites como Behance, Cargo ou Carbonmade são um formato simples e fácil de ser executado (mas geralmente depende de conhecer inglês). As plataformas fornecem toda a base de programação para você divulgar seu portfólio – serve para textos, imagens e vídeos. É só você dar upload no conteúdo, escolher um visual adequado e pronto, todo o seu material estará on-line. É uma boa pedida para freelancers.

6. Crie um e-commerce

No Brasil, criar uma lojinha virtual é sinônimo de sucesso. Segundo dados da ComScore, 94% dos internautas brasileiros têm o hábito de realizar compras pela internet. A previsão da Associação do Comércio Online é que até o final de 2014 o País conte com mais de 45 mil lojas criadas na rede.

Criar um e-commerce é muito bom por causa do alcance. O seu produto deixa de ser local para chegar a âmbito nacional. Você também pode optar por sites que permitem criar uma lojinha dentro da estrutura deles, desde que pague taxas administrativas e, em alguns casos, porcentagens de venda.

Tome nota:

  • Para criar um e-commerce, você, provavelmente, irá precisar de ajuda para a logística. Recebimento do pedido, embrulho, envio e comunicação com o consumidor são alguns dos pontos que devem ser pensados.
  • Disponibilize todo o seu catálogo em sua loja virtual. Os consumidores brasileiros navegam, em média, cerca de 60 minutos mensais em lojas on-line, ou seja, quanto mais variedade de produtos, melhor.
  • Mantenha a loja sempre atualizada e conectada ao seu estoque.
  • Seja responsável: uma loja virtual só faz sucesso se cumpre os prazos de entrega e a qualidade do produto prometida.

 

Tecnologia

Hora de disseminar

Formato escolhido e criado, é hora de divulgá-lo. Depois de tudo pronto, você precisa, ainda, pensar na estratégia de divulgação para a sua página. A internet possui um mundo infinito de possibilidades de publicidade. Vai de você descobrir qual é a melhor e mais adequada para o seu negócio.

Para começar, faça o trabalho “manual”. Divulgue a sua página em outras do ramo. Comente, passe a informação para seus amigos. O uso das redes sociais é crucial nesse momento. É por lá que você consegue propagar a novidade.

É interessante, também, reservar uma graninha para investir em publicidade digital. Sites como o Google, Yahoo e Bing possuem programas de Links Patrocinados, onde você pode comprar publicidade em buscadores.

Banners em redes de afiliados ou em blogs e sites também são uma alternativa, assim como pequenos comerciais visuais no YouTube. No Facebook, a publicidade pode ser realizada através de anúncios gerados pelo próprio sistema. Os Facebook Ads, como são chamados, são conhecidos pela eficácia e facilidade na hora da criação.

A divulgação em jornais e revistas também podem ocorrer, mas não com tanta frequência, já que o investimento costuma ser alto. Promoções em seu site, blog ou perfis sociais também são muito eficientes – o retorno é, geralmente, alto. As pessoas gostam de ganhar e testar produtos e, com isso, você consegue adquirir mais seguidores e público.

Não se esqueça de sempre responder dúvidas, críticas e sugestões recebidas de consumidores. No Facebook, por exemplo, os comentários são abertos ao público e, se alguém perguntar algo por ali, é importante ter a resposta. A comunicação direta com o seu público é importante na hora de fidelizar o cliente.

Aliados para o negócio

O Facebook e a Sebrae, de olho nas pequenas empresas brasileiras, lançaram recentemente um aplicativo para capacitar empresas para o uso da rede social. O Empreenda com o Facebook é um treinamento em forma de jogo com cinco etapas, onde é possível aprender como funciona os anúncios da rede social e criar a sua página.

“Os negócios simulados no jogo foram pensados a partir de dados do Sebrae e de outras fontes relacionadas, e mostram que a maior parte dos empreendedores brasileiros atua nas áreas de varejo e comércio”, diz Stephanie Johnson, gerente de contas do Facebook Brasil, em nota. 

(Foto: Getty Images)