Viagem

Montando um diário de viagem com as crianças

Por Priscilla Perlatti

Anotações ajudam a viagem a ficar mais interessante e servem como uma recordação especial

Montando um diário de viagem com as crianças

Algumas pessoas ainda têm a ideia de que não vale a pena viajar com as crianças porque depois elas não vão lembrar de nada dos lugares pelos quais passaram e os passeios que fizeram.

Eu sei, por experiência, que o que fica de cada viagem para cada pessoa é único, especial e superpessoal. É claro que uma criança de três anos, por exemplo, não vai se deslumbrar diante daquele museu histórico. Porém, a tarde no parque, o amigo que fala uma língua diferente, os sons e sabores novos, tudo isso vai ficar para sempre na memória desses mini-humanos e vai ajudar a construir a pessoa bacana que eles serão no futuro.

Um jeito muito especial de ajudar as crianças a guardarem as lembranças da viagem é fazer um diário com anotações das pequenas (e grandes) coisas e experiências vividas durante os dias fora de casa.

Há os cadernos e agendas especiais tematizados com espaços para anotações, modelos prontos para baixar na internet, mas também dá para personalizar e fazer um com a cara da sua família, de acordo com aquele passeio específico, ou até mesmo colocando as coisas mais importantes para a criança, segundo a faixa etária dela.

Eu comprei um kids travel journal, da marca sueca de papelaria Kikki K, que me deu boas ideias para ir montando para as minhas filhas os diários das próximas viagens.  

As primeiras páginas contém um pequeno formulário para a criança preencher coisas sobre ela. Assim como em uma pequena entrevista, ela informa nome, idade, destino, data da viagem, o que ela já sabe (língua, comida, costumes, etc) e o que espera ver e conhecer sobre o lugar a ser visitado, tendo a possibilidade de registrar suas expectativas e refletir sobre elas antes de embarcar.

O durante, incentiva a criança a anotar sobre o tempo, seus sentimentos, sua localização e fazer um desenho. O espaço em branco pode ser destinado para colar ingressos, embalagens, folhas secas, cartões postais, guardanapos e tudo mais que fizer parte do baú especial de recordações.

Por fim, as últimas páginas incentivam os pequenos viajantes a coletar os contatos dos amigos feitos durante a viagem (o máximo!), fazer o balanço dos aprendizados e os planos para próximos destinos.

Nem sempre durante as férias a disciplina de fazer anotações diárias pode parecer a coisa mais interessante para uma criança, mas pode ser uma ótima atividade para substituir os aparelhos eletrônicos, principalmente durante esperas e voos longos. Por isso, longe de ser mais uma tarefa, o hábito de fazer um diário tem que ser divertido e um estímulo à curiosidade e criatividade.

(Foto: Arquivo pessoal)