Viagem

Orlando, a gente voltou!

Por Daniela Folloni
@blogitmae

Como a foi a diversão nos parques, agora com as crianças acima de 1,02 metro!

Orlando, a gente voltou!

Fomos a Orlando pela primeira vez com as crianças quando a Bela tinha 3 anos e o Fe tinha 1 ano. A escolha do destino naquela época se deu por alguns motivos bem básicos: a fase em que a Bela estava totalmente no mundo da fantasia das princesas (o que não mudou muito! rsrs) e a nossa necessidade (minha e do meu marido) de diversão em um local que oferecesse muita estrutura para os pequenos (baby center limpíssimo com trocador e cadeirões para dar a papinha com tranquilidade, estacionamento de carrinhos de bebê na porta dos brinquedos e tantas outras facilidades).

 Três anos depois, resolvemos repetir a experiência. Sem carrinho e as com as crianças maiores a ponto de poder entrar nas montanhas-russas infantis.

Se da outra vez a viagem já foi divertida, desta vez, superou as expectativas. As crianças entraram super no pique de fila nos brinquedos, caminhadas e dias intensos de parque. Tks God!

Veja o que eles mais curtiram:

- Em agosto ainda estava muito quente. Para dar conta do calor, deixamos as crianças aproveitarem a área molhada dos parques: no Magic Kigdom ela ficava perto do Dumbo the Flying Elephante. Já na Universal, era a área do macaquinho George, o Curioso. E também tratamos logo de adquirir o ventilador com água , à venda por 15 dólares em carrinhos pelos parques da Disney. Refresca e diverte.

- O aplicativo My Disney Experience foi uma mão na roda nos parques da Disney, pois nos permitiu controlar o tempo de espera das filas e assim otimizar nosso tempo no parque - e poupar as pernas e a paciência de todos. Dica: leve uma bateria extra, pois ela acaba muito rápido se você usar o app o tempo todo.

- As montanhas-russas deixaram a viagem mais radical - e foi uma delícia poder curtir pela primeira vez com eles esses brinquedos. A Bela, de 6 anos, amou todas. Já o Felipe, de 4 anos, ficou com medo de algumas. Só depois se soltou. As permitidas para maiores de 1,02 metro são: no Magic Kingdom curtimos a Mina dos 7 Anões (por ser novidade, a fila é longa, mas tem brinquedos interativos, o que distrai as crianças na espera), a Splash Mountain (que rendeu a foto mais legal da viagem) e uma mais levinha do Pateta, a The Barnstormer. Teve também a Big Thunder Mountain Railroad. No parque da Universal fomos a duas mais leves que o Fe curtiu: a do Pica-Pau e uma na terra do Harry Potter, chamada Voo do Hipogrifo.

- Por falar em Harry Potter, vale a pena assistir aos filmes antes de ir porque a área reservada ao bruxo foi expandida e agora tem também o Beco Diagonal, no parque da Universal. Beeem legal. E o trem igual - ao do filme - liga essa área à Island Of Adventure, onde tem mais Harry Potter. A maior diversão para as crianças foi fazer mágica com uma varinha comprada numa loja... de varinhas, oras! Ela tem um sensor e vem com um mapa de vários lugares onde é possível fazer mágica de verdade.

- Como era nossa segunda vez, também quisemos fazer algumas coisas diferentes, como chegar ao Magic Kingdom de Ferry Boat (vale a pena, é lindo chegar pelo lago e ver o Castelo da Cinderela se aproximando - a cena igual ao início dos DVDs da Disney).

- Também por ser repeteco - e o foco principal ser a diversão das crianças - topamos enfrentar uma hora de fila para tirar foto com a Rapunzel e a Cinderela, no Princess Fairtale Hall (lindo - e ainda tem uma vitrine com sapatinho de cristal da Cinderela para tirar muitas fotos). Com a Anna e a Elsa não deu, pois a fila era de quase 2 horas. Mas Disney é assim: sempre fica faltando alguma coisa - que vira motivo para a gente voltar!

(Foto: Arquivo pessoal)