Saúde e Bem-estar

Alimentos para antes, durante e depois da malhação

Quer melhorar o desempenho físico na academia e garantir bons resultados? Veja algumas dicas

Alimentos para antes, durante e depois da malhação

Nem todo mundo repara quantos benefícios uma alimentação adequada pode trazer para a prática de exercícios físicos, seja na academia ou ao ar livre. Mas basta adicionar alguns cuidados nas refeições e lanches antes, durante e depois da malhação para que a gente veja a diferença.

A fisioterapeuta e empresária Ivana Porto é um exemplo de que certas regrinhas podem aumentar a eficácia da atividade física. “Faço academia (musculação e squash) há 10 anos, mas foi só corrigir a dieta para me sentir mais disposta e perceber as diferenças no meu corpo”, conta ela.

Entre as principais mudanças realizadas, Ivana destaca o consumo de carboidratos, como batata-doce ou tapioca com ovo mexido, cerca de 30 a 40 minutos antes de seus treinos para ganhar mais energia.

Descubra agora os alimentos que são aliados na hora de fazer atividades físicas – e também os inimigos –  a seguir:

Antes da malhação

A nutricionista Luciana Galimberti explica que uma alimentação deficiente de nutrientes pode ocasionar fraqueza, desmaio, cãibras, dores musculares e até hipoglicemia (falta de açúcar no sangue). “Por isso, sempre alerto meus pacientes sobre a importância de se alimentar bem antes dos treinos”, diz ela.

Um pouco antes da prática (entre 30 e 60 minutos), é essencial consumir alimentos que proporcionam energia rápida e deixam a musculatura ativa, como pão integral e batata-doce (carboidratos) ou castanhas (consideradas gorduras boas).

Evite alimentos muito gordurosos, como frituras, que podem atrapalhar o desempenho físico porque são difíceis de digerir.

Durante o treino

Luciana conta que os músculos possuem uma espécie de reservatório de carboidratos chamado glicogênio muscular, que oferece energia para os primeiros momentos do exercício. “Depois disso o corpo busca energia nos depósitos de gordura, ou seja, o tecido adiposo”, conta.

Por isso, caso o praticante sinta necessidade de se alimentar durante o exercício, o ideal é escolher um carboidrato de rápida digestão, como bananamaçã ou mel. “Essas opções começam a ser digeridas ainda na boca”, relata.

Por outro lado, é melhor passar longe de alimentos ricos em fibras, como o abacaxi, que podem causar o desconforto uma vez que impulsionam os movimentos intestinais. 

Depois do exercício

Essa é uma hora importante, principalmente para quem faz exercícios de alto impacto, como a musculação, ou então procura perder peso.

“A atividade física causa microlesões nos músculos e para cicatrizá-las é necessário consumir alimentos proteicos. Isso porque a proteína tem a função de reparar e fazer a manutenção dos tecidos do nosso corpo”, afirma a especialista.

Uma boa opção é comer frango grelhadoomelete ou iogurte batido com cereais. 

Depois da malhação, é melhor evitar o consumo de grandes quantidades de carboidratos, como pães e massas. “Caso contrário, se esses alimentos não são utilizados como fonte de energia, ficam armazenados como gordura corporal”, explica Luciana.

Ah! Para resultados mais eficazes da recuperação muscular, consuma os alimentos em até 30 minutos depois do treino.

(Foto: Getty Images)