Saúde e Bem-estar

Exercícios durante a gestação

Por Marina Breithaupt

Veja quais são as modalidades ideais e qual escolhi para praticar

Exercícios durante a gestação

Eu nunca fui do tipo rata de academia, nem de longe uma pessoa superativa, mas, nos últimos meses antes dessa gestação, eu comecei a caminhar todos os dias, uma hora no fim de tarde e estava me fazendo superbem.

Fiz isso no início da gestação, quando ainda não sabia, sem nenhuma orientação profissional e não tive problemas. As primeiras semanas de gravidez vieram para mim com um mal-estar danado e um cansaço sem fim, o que me fez pensar em abandonar as caminhadas.

Orientada pelo meu médico, continuei e, próximo das 13 semanas, iniciei o pilates voltado para gestantes. Amei!

Fui em busca de várias modalidades voltadas para essa fase, de baixo impacto, e na minha cidade encontrei além do pilates, hidroginástica e ioga.

Me identifiquei mais com pilates, que eu já conhecia, e confesso que tem feito eu me sentir muito melhor. Por aí sei que há natação, relaxamento, alongamento, vários tipos de danças, entre outras aulas, preparadas exclusivamente para as grávidas. Opções não faltam!

Ao contrário do que imaginei, fico muito mais disposta nos dias que pratico e não abandonei o hábito de caminhar nos fins de tarde. Acho que faz mais bem para alma do que para corpo, um momento em que ouço minhas músicas, faço planos e relaxo um pouco. Além de ajudar muito no meu sono.

Sofri durante as outras gestações com insônia, acordava a todo o momento para ir ao banheiro. Até aqui são cinco meses de sono tranquilo. Tenho certeza que as atividades regradas são grandes responsáveis por isso.

Além do sono, notei uma melhora na respiração. Andava muito ofegante e isso está melhorando. As atividades físicas melhoram a função cardiorrespiratória e circulação sanguínea. É tudo de bom para quem está vivendo a fase preparatória para um parto tranquilo.

Na matéria Exercícios durante a gravidez, sim ou não? há vários pontos interessantes sobre os cuidados para se ter uma vida ativa nesse período. O principal é ter orientação médica e, claro, bons profissionais para ajudar nessa prática.

Acredito muito nos benefícios, tanto para a hora do parto quanto na recuperação, no pós-parto.

Vou poder observar de perto as diferenças de uma gestação ativa para as outras, em que fui muito sedentária e não cuidava tanto da alimentação (também notarei diferenças nessa gestação após os 30 anos...nas outras era tudo mais fácil! rsrsrs Mas vamos voltar ao assunto!).

Mesmo se você não era a pessoa mais ativa do universo antes de engravidar, saiba que nunca é tarde para começar e usufruir desse gás extra. O controle do peso e o tônus muscular, além de todos os benefícios, ajudam na autoestima e nos deixam muito mais animadas!

(Foto: ShutterStock)