Saúde e Bem-estar

Miniguia de manchas da pele

Saiba as características das lesões mais recorrentes e entenda se elas são casos de preocupação médica ou apenas estética

Miniguia de manchas da pele

Manchas na pele sempre causam algum incômodo, sejam apenas por questões estéticas ou por motivos de saúde. São diversos os formatos e cores de manchas – brancas, amarronzadas, avermelhadas – que podem ser de nascença ou surgir na pele de todo o corpo ao longo da vida.

Para que possamos entender um pouco mais sobre os mais diversos tipos de mancha na pele e saber se temos que nos preocupar com o surgimento e desenvolvimento delas (ou não), fomos pedir ajuda a especialistas.

Conversamos com Valeria Campos, assessora do Departamento de Laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), e Juliana Favaro Isidoro, dermatologista também da SBD, que esclarecem as principais dúvidas da maioria das pessoas. Veja abaixo!

 Melasma

  • O que é: melasmas são manchas escuras, que vão do marrom claro ao mais escuro ou acinzentado, irregulares e simétricas que surgem, de modo geral, na face.
  • Causa: sua formação está relacionada, principalmente, ao tom de pele, a características genéticas, alterações hormonais (como gravidez ou uso de anticoncepcionais) ou exposição solar.
  • Quem atinge: melasma pode afetar ambos os sexos, mas é mais comum em mulheres, pois os hormônios femininos são facilitadores dessa pigmentação. Quando ocorre durante a gravidez, é chamado de cloasma.
  • Tratamento: é realizado sobretudo com cremes clareadores específicos e uso sistemático de protetores solares, que deve ser constante na vida da pessoa afetada.

 

Mancha senil

  • O que é: chamadas de melanose solar ou mancha senil, são manchas pequenas, amarronzadas, que ocorrem predominantemente nas áreas com exposição solar acumulada durante a vida, como face, mãos, colo, antebraços e pernas.
  • Causa: ocasionada pela exposição excessiva ao sol ao longo dos anos.
  • Tratamento: pode ser feito através da remoção das manchas com ácidos ou lasers.
  • Vale saber: em geral, essas lesões são benignas, porém, quando em pele bastante lesada pelo sol, apresentam um risco maior de câncer de pele.

 

Dermatite

  • O que é: dermatite é um nome genérico para inúmeros tipos de inflamação na pele que, na maioria dos casos, se apresentam como lesões vermelhas ou rosadas, eventualmente acompanhadas de descamação.
  • Causa: muitas dermatites estão relacionadas a estados emocionais e estresse, sendo que as dermatites atópicas podem aparecer em pacientes com tendência a diversos tipos de alergia e asma.
  • Tratamento: varia de acordo com o diagnóstico específico de cada uma delas.

 

Fitofotodermatose

  • O que é: são lesões similares a queimaduras, que podem se iniciar como bolhas ou apenas vermelhidão, sendo seguidas pela formação de manchas castanhas com formatos irregulares.
  • Causa: elas são resultado da exposição solar posterior ao contato com algum extrato vegetal na pele, como frutas ácidas - abacaxi, laranja e limão - ou a seiva de determinadas plantas, o que forma lesões similares a queimaduras.
  • Tratamento: o principal é a prevenção, ou seja, basta fazer a higienização correta da pele após manipular determinados produtos. Uma vez que a lesão tenha se formado, no entanto, a utilização de pomadas cicatrizantes e cremes clareadores pode ser indicada pelo médico.

 

Vitiligo

  • O que é: doença caracterizada pela despigmentação da pele, gerando manchas brancas de diferentes tamanhos em qualquer parte do todo – podendo aparecer no corpo todo.
  • Causa: surge devido à diminuição ou à falta de melanina. Essa doença acomete cerca de 1 a 2% da população mundial, sendo que em 30% dos casos há ocorrência familiar. As manchas podem surgir em qualquer idade, ocorrendo, em média, por volta dos 20 anos e podem ser acompanhadas do esbranquiçamento dos pelos nas regiões afetadas.
  • Tratamento: apesar do vitiligo não causar nenhum prejuízo à saúde física, as alterações estéticas causadas pela doença, muitas vezes, causam distúrbios psicológicos. Uma vez que o vitiligo se apresenta de forma e intensidade variadas em cada paciente, o tratamento indicado pelo dermatologista deve ser individualizado. Os corticoides, no entanto, estão entre as terapias mais empregadas, embora tratamentos com vitamina D, de fototerapia ou fotoquimioterapia tópica e o cirúrgico também sejam utilizados.

 

Sarda

  • O que é: sardas são pequeninas manchas castanhas e bastante regulares, localizadas nas bochechas e no dorso nasal.
  • Causa: são provocadas pelo sol, principalmente em indivíduos ruivos, loiros ou de pele muito clara.
  • Tratamento: por não serem lesões malignas e, muitas vezes, não trazerem desconforto estético, as sardas raramente são removidas. Entretanto, existe a possibilidade de retirá-las com laser.

 

Leucodermia solar

  • O que é: mais conhecidas como sardas brancas, geralmente ocorrem nas áreas expostas à luz, como antebraços e pernas.
  • Causa: são uma consequência do envelhecimento das células produtoras de cor da pele, os melanócitos. Seu surgimento denota uma pele bastante lesada pelo sol, que deve ser constantemente examinada, uma vez que apresenta maior risco de desenvolver câncer de pele.
  • Tratamento: é bastante complexo, mas pode ser feito por laser ou por uma técnica chamada dermopigmentação, semelhante à maquiagem definitiva.

 

Atenção ao câncer de pele!

Independentemente desses tipos de mancha, é importante reforçar a necessidade de visitas ao dermatologista em casos de possibilidade de câncer de pele.

São consideradas suspeitas as manchas irregulares das mais variadas cores, de diâmetro maior que 5 milímetros, de surgimento recente e que se transformam em feridas de difícil cicatrização. Elas devem ser prontamente examinadas por um dermatologista.

O câncer de pele, em geral, tem tratamento, sendo que o diagnóstico precoce é o que, na maioria das vezes, garante a cura completa das lesões, como lembram as especialistas Valeria Campos e Juliana Favaro Isidoro.

(Foto: Getty Images)