Saúde e Bem-estar

Você já ouviu falar em pet terapia?

Por Helena e Joana Cardoso

Entenda o que esse nome difícil significa e seus benefícios

Você já ouviu falar em pet terapia?

Na primeira vez que ouvi falar esse termo, confesso, achei que se tratava de terapia para animais, ou algo do tipo. Jamais imaginei que não se tratava de um serviço para animais, mas, sim, com os animais.

Isso mesmo. Na pet terapia (ou Terapia Assistida por Animais), o animal é o elemento principal, usado como coterapeuta.

A interação entre o ser humano e o animal facilita crianças, idosos, portadores de Síndrome de Down, entre outros, a lidarem com suas dificuldades sociais, físicas, cognitivas e/ou emocionais.

A pet terapia é cientificamente comprovada e é um método terapêutico alternativo para enfrentar diversas patologias/dificuldades. São sessões dirigidas por um profissional habilitado, com objetivos específicos para cada idade e/ou patologia.

Nem todo animal pode ser um pet terapeuta, mas também não há uma espécie ou raça específica. Basta que ele seja dócil e receba bem o contato humano. O mais comumente utilizado é o cachorro. Também é importante que ele seja treinado e vacinado.

A premissa é de que, do convívio entre o homem e o animal, surge um carinho, amor e amizade, que são benéficos para diversas dificuldades de vida.

Importante lembrar que a pet terapia deve ser supervisionada por profissionais da saúde devidamente habilitados.

Esse tratamento não é indicado para quem tem medo de animais ou alergia a eles.

E aí, o que você achou dessa nova forma de terapia?

Por Helena Cardoso

(Foto: Morguefile)