Tecnologia

Não é ficção: sim, já existem objetos comestíveis fabricados em 3D

Por Paula Rizzo

Você já experimentou algum?

Não é ficção: sim, já existem objetos comestíveis fabricados em 3D

Depois de ganhar espaço produzindo objetos de plástico e vinil em 3D, começam a ganhar espaço as impressoras 3D que produzem objetos comestíveis.

Talvez a mais conhecida delas seja a PancakeBot que, no lugar da tinta ou do vinil, usa massa de panquecas para desenhar. E dispensa a massa na chapa quente com um sistema de ar comprimido a vácuo.

Um software permite a criação de desenhos de panquecas a partir de imagens de pessoas, objetos e edifícios, simplificando o processo de criação. 

O vídeo abaixo demonstra o sistema, que recebeu US$ 460 mil pelo site de captação de recursos coletivo Kickstarter:

Há também impressoras como a LunchBot, que levam desenhos aos bento boxes japoneses feitos de furikake, condimento usado na culinária japonesa feito de peixes secos e moídos, algas picadas, sementes de gergelim, açúcar, sal e glutamato monossódico.  

E há impressão em chocolates, pirulitos e açúcar. Os usos em projetos de culinária molecular são muitos também.

Existem, ainda, projetos muito interessantes ligados à saúde e qualidade de vida como, por exemplo, o da empresa alemã Biozoon, que está desenvolvendo um projeto para os idosos que têm problemas de deglutição e mastigação.

A proposta é desenvolver alimentos feitos a partir de alimentos in natura, que são transformados em objetos comestíveis 3D - e, apesar de serem semelhantes à sua inspiração original, podem ser comidos e engolidos sem a necessidade de mastigação.

(Foto: SugarLab, 3D System/ Divulgação)