Tecnologia

Tecnologia rudimentar combate a anemia

Por Paula Rizzo

Como um pequeno peixe de ferro está resolvendo um grave problema

Tecnologia rudimentar combate a anemia

No mundo todo, nos países onde não se consegue ter uma alimentação adequada, crianças e adultos são vítimas de anemia. No caso das crianças, a falta de ferro prejudica o desenvolvimento físico e mental.

Em uma visita ao Camboja, país muito afetado por esta realidade, um estudante de biomedicina canadense se sensibilizou, se sentiu desafiado a pensar em uma solução e teve uma ideia interessante para suplementar o ferro dos cambojanos mais pobres.

Ele juntou a ludicidade à simplicidade e criou um peixe de ferro fundido que deve ser colocado na fervura da água da sopa, um dos elementos centrais da alimentação cambojana.

O projeto é fundamentado em pesquisas que descobriram que os níveis de ferro das famílias que cozinhavam em panelas de ferro fundido eram maiores do que as que usavam outros tipos de panela (como as de alumínio ou barro).

O peixe de ferro na panela libera ferro suficiente para que um adulto que ingere a sopa tenha 75% das necessidades diárias de ferro atendidas.

A ideia de usar o formato de peixe foi não apenas lúdica, mas também supersticiosa: os peixes são um símbolo de sorte no país. Por isso, o produtinho ganhou o nome de Lucky Iron Fish

Os peixes de ferro foram distribuídos em hospitais e ONGs e cerca de 2,5 mil famílias estão usando os peixes. Metade dos participantes do projeto, ao fim de um ano, não apresentavam anemia ou deficiência de ferro.

Hoje, eles são também comercializados pela internet e têm um sistema que, na compra de um produto, um igual é disponibilizado sem custo a uma família carente no Camboja.

Esse tipo de projeto me encanta. Ele mostra que nem sempre a tecnologia precisa ser sofisticada e que, muitas vezes, a solução engenhosa pode ser simples e barata. Uma bela inspiração!

(Foto: Lucky Iron Fish/Divulgação)