Viagem e Férias

10 motivos para viajar sozinha (mesmo sendo mãe)

Fazer uma viagem sem companhia deveria estar naquelas listas de coisas a se fazer pelo menos uma vez na vida. Só que tomar essa decisão é ainda mais difícil quando se é mãe...

10 motivos para viajar sozinha (mesmo sendo mãe)

Quem é mãe sabe que se separar do seu filho, ainda mais se ele for pequeno, é quase que dividir um coração em dois. No entanto, há outro lado a se pensar: mães não têm folgas, feriados e, por mais prazerosa que seja, a maternidade é cansativa.

Sabe aquela hora que você começa a fazer tudo apenas por fazer? Pois é, chegou ao seu limite.

Então, talvez um tempo para você seja bom para recarregar as energias, colocar a cabeça no lugar e voltar a ser uma mãe mais renovada e disposta - quem tem filhos sabe o quanto a disposição é importante. 

Livia Jorge, advogada, só deixou a filha Luiza para viajar sozinha, quando a pequena já tinha 7 anos. E mesmo assim, não foi nada fácil. "Foi difícil desde a despedida até a chegada. Quando me via tão longe me batia vontade de voltar e não conseguia vê-la por câmera porque a saudade apertava", conta a advogada. 

Outro ponto a ser levado em conta é que mães que tomam a decisão de viajarem sozinhas podem sofrer julgamentos, até mesmo de outras mães. Livia revela que, com ela, não foi diferente. "Muita gente veio me perguntar como ela ia ficar, quem ia cuidar dela... Não sei se julgaram já por essas perguntas, mas você percebe que a aceitação não é das melhores nessa situação", confessa. 

A primeira vez foi a mais difícil, mas Livia admite que, depois, ambas se acostumaram. Na opinião dela, as viagens constantes ensinaram à filha a ser mais independente. 

"Salvo a idade que eles são mais dependentes, acho que ficar um tempo longe da mãe faz bem. Depois disso, viajar acabou sendo rotina do meu trabalho e ela entende, compreende. E isso a deixou apta a também viajar sozinha para os acampamentos da escola, por exemplo", conta a advogada. 

Listamos abaixo 10 dicas e motivos para você colocar o pé na estrada sozinha.

(Foto: Getty Images) 

1
É uma forma de autoconhecimento
Mães raramente têm tempo para ficarem sozinhas. Se não estão trabalhando, estão com os filhos ou envolvidas com a organização da casa etc. Viajar sozinha é uma forma de se autoconhecer, ouvir mais o que você pensa e se surpreender com as próprias reações em certas situações.
2
Liberdade para fazer o que quiser
Quando você opta por viajar sozinha em vez de acompanhar e ser acompanhada por outras pessoas, se torna a responsável pelo seu roteiro: acorda a hora que quiser, vai aonde quer e até se veste como quer... Nada da rotina do dia a dia.
3
Recarregar as energias
Viajar é dar um tempo. Às vezes, longe de casa, você enxerga situações que, de perto, não visualizava; passa a pensar de outro modo e a ter reações diferentes. Fora isso, a saudade faz a gente valorizar mais alguns detalhes, não é? Tome um folêgo!
4
Yes, temos tecnologia!
Há 20 anos, se uma mãe se afastasse de seu filho, só teria contato à distância com ele por telefone - e pagaria bem caro po isso. Hoje, você pode ter notícias do seu filho a qualquer hora, em qualquer lugar, via Facetime, Viber, WhatsApp, Facebook... Aproveite!
5
Filhos também aprendem longe da mãe
Para mães que vão fazer a primeira viagem sozinha, há muito aprendizado e, para os filhos, também! Eles aprendem a ficar sozinhos, se virar sem você e ainda a ficarem mais independentes. Quando virem que conseguem ficar um tempo sem a mamãe, também se sentirão mais seguros. Pense nisso! Antes de viajar, é legal deixar duas pessoas dedicadas à criança: pai, avós, tios etc. Isso porque, para quem não está acostumado com os pequenos, a rotina poder ser cansativa, sendo uma boa ideia revezar nos cuidados.
6
Aprenda o mínimo da língua
Se você vai para outro país, aprenda a falar o mínimo da língua, pois não tem jeito: vai ter que se virar sozinha. “Bom dia”, “boa noite”, “por favor” e “obrigada” e alguns alimentos devem estar na ponta da língua... E não se preocupe: sorrisos e cafés são iguais em quase todos os lugares.
7
Mantenha as pessoas informadas
Avise seus parentes sobre seu paradeiro: passe nome, endereço, telefone e número do hotel onde for ficar. Assim, se alguma emergência acontecer, eles já sabem como achá-la.
8
Não estoure o limite do cartão com presentes
Muitas mães que ficam longe dos filhos usam os presentes para compensar a falta que fazem. Entenda: isso não compensa, nem substitui. A única pessoa que se sente confortável com isso é você, mesmo que superficialmente. Que tal levar presentinhos mais simbólicos, algo que viu e a fez lembrar dos pequenos? Nem que seja a foto de outras crianças. Eles vão gostar desse tipo de lembrança.
9
Procure um destino feminino
Informe-se! Em alguns países, mulheres desacompanhadas não são bem vistas. A dica, então, é apostar em locais mais familiares e com uma cultura mais parecida com a nossa.
10
Leve uma única mala
Isso serve para qualquer roteiro de viagem, mesmo que você esteja acompanhada. O lema é sempre esse: leve contigo apenas o que conseguir carregar sozinha. Locomover-se por cidades desconhecidas, cheia de malas, sem ninguém para ajudar, pode ser (bastante) desconfortante.