Viagem e Férias

Um fim de semana em Brasília com crianças

Por Priscilla Perlatti

O turismo cívico é o grande destaque de qualquer visita. Os pequenos aprendem e se divertem

Um fim de semana em Brasília com crianças

- “Mãe, então quer dizer que a gente vai poder ver a Dilma?”

Foi com essa pergunta que minha filha resumiu as expectativas dela sobre a nossa viagem em família à Capital Federal. Não queria frustrá-la, então respondi com um:

- “Talvez. Mas deixa eu te contar sobre o Oscar...”

Brasília é uma cidade com muitos possíveis roteiros e, como tínhamos apenas um fim de semana, escolhemos nossos passeios com um pouquinho de cada coisa.

Catedral Metropolitana

O turismo cívico é para mim o grande destaque de qualquer visita, contemplando arquitetura, história e cidadania. Em um giro pela área da Esplanada dos Ministérios, a primeira parada foi na Catedral Metropolitana de Brasília. Incapazes de decidir se ela se parecia mais com um vulcão ou com um conjunto de mãos abertas suplicando aos céus, todos nos deixamos impressionar pela luz que atravessa os lindos vitrais e pelo grande segredo que guarda as paredes daquele santuário.

- “A acústica aqui é caprichada. Isso significa que o som se espalha perfeitamente, sem que ninguém tenha que gritar. Encosta seu rosto aqui e fala, bem baixinho, qualquer coisa” – expliquei para a minha filha, apontando para a parede côncava na lateral. Ela, desconfiada, obedeceu.

E não é que do outro lado a irmã, que estava incrédula na viagem do som, riu e respondeu.

- “Poxa, mas esse Oscar entendia de contar segredos, hein?”

Praça dos Três Poderes

De lá passamos pelos prédios de vários Ministérios e rumamos em direção à Praça dos Três Poderes. Emoldurada pelas construções que representam os poderes máximos do nosso país – os prédios do Supremo Tribunal Federal, Congresso Nacional e Palácio do Planalto – estava lá o majestoso mastro de cem metros de altura.

- “Não acredito que é a maior bandeira hasteada do mundo, mãe!”

- “É sim... Bom, pelo menos é o que consta no livro dos recordes. Como venta muito, a bandeira é trocada todo primeiro domingo do mês, em uma cerimônia especial”.

Com todo esse papo de ângulos retos, colunas e planejamento urbano, as crianças ficaram intrigadas querendo saber mais sobre o tal do Plano Piloto e a suposta forma de avião com a qual a cidade tinha sido originalmente concebida. Para nossa decepção o Espaço Lucio Costa, que abriga uma linda maquete de Brasília e está localizado no subsolo da Praça dos Três Poderes, estava fechado para reformas.  

- “Se Brasília é um avião, vamos até a cabine do piloto?” Claro! E lá fomos nós até o Palácio da Alvorada.

Palácio da Alvorada

A residência oficial da mandatária de nosso país, que fica a beira do Lago Paranoá, está aberta à visitação todas as quartas-feiras no período da tarde. De longe pudemos avistar o jardim e reconhecemos as colunas com seu desenho tão característico.

- “A gente pode ir brincar com as emas?”

As meninas não desviaram o olhar do vasto gramado em busca das emas (ou seria da Presidenta) que habitam o local. Não foi dessa vez que entramos na casa presidencial, tampouco que vimos os bichos palacianos, mas, se serve de consolo, durante o tempo que ficamos lá, pudemos acompanhar a troca da guarda nos portões da propriedade.

Uma pausa para se refrescar

Todas essas atividades ao ar livre deixaram as crianças cansadas! Brasília é conhecida pelo seu clima seco, especialmente durante os meses de agosto e setembro. Cometemos o erro de não levar uma garrafa de água conosco, e Stella, minha filha mais velha, chegou a apresentar alguns sinais de desidratação rapidamente.

Por isso, nossa próxima parada foi certeira, dica de amigos locais: em uma das quadras de comércio local da Asa Sul, a sorveteria Delícias do Serrado tem picolés feitos com frutos típicos daquela região. Me senti como uma gringa na hora em que eu abri a geladeira e dei de cara com tantos nomes que eu nunca tinha ouvido falar.  Provamos muitos sabores, sendo que as crianças foram no conforto do chocolate e da groselha e os adultos se aventuraram pelo cajá-manga, siriguela e cagaita, esse último meu preferido. Depois do refresco, era hora de um bom descanso.

Palácio do Planalto

Recuperados do mal-estar, no dia seguinte fomos fazer o passeio que se revelou o ponto alto de nossa viagem: aos domingos, o Palácio do Planalto abre suas portas para visitas guiadas gratuitas. Em cerca de 40 minutos, é possível conhecer salas, salões, o grande acervo de obras de arte e o gabinete da Presidência da República.

- “Olha, mamãe, quem é aquele menino da foto que está em cima da mesa da Dilma?”

Fiquei verdadeiramente emocionada de visitar o local de trabalho de Dilma Roussef e perceber, junto com minhas filhas, os pequenos detalhes que nos fazem lembrar que ela também é mãe (e avó), assim como a gente. E esse toque feminino fica claro no par de esculturas do Vale do Jequitinhonha que orna a Sala de Audiências ou no porta-retrato em cima da mesa de trabalho com a imagem de seu neto.

Parque da Cidade

Saindo de lá, seguimos para o Parque da Cidade beber água de coco (aprendemos a lição!) e as crianças aproveitaram a imensa área para correr e subir em todos os brinquedos do parquinho. O destaque ficou por conta do foguete que, segundo me contaram, faz a alegria dos candanguinhos há gerações.

Fechamos o fim de semana com uma longa e preguiçosa refeição do Pontão do Lago Sul, complexo com bares, restaurantes às margens do onipresente Lago Paranoá, o melhor lugar para assistir o por do sol na Capital Federal. Muita coisa bacana ficou de fora desse nosso roteiro, como uma visita à Torre de TV, ao Memorial JK, ao Congresso Nacional e ao super recomendado parque Água Mineral, entre outros pontos interessantes... Bom, essa é a desculpa perfeita para voltar!

 - “Até a próxima, Brasília!”

comentarios férias, viajens, turismo