Viagem e Férias

Viajando para a Europa com as crianças

Desbravar o Velho Continente com os filhos pode ser uma aventura muito mais interessante do que você imagina. Basta montar um itinerário adequado para a turminha

Viajando para a Europa com as crianças

Andar pelos canais de Amsterdã, conhecer os muitos museus de Paris, vivenciar o ritmo intenso de Londres e resgatar a história da civilização em Roma... Uau! Já ficou com vontade de visitar a Europa só imaginando essa aventura, não é mesmo? Entendemos bem...

Mas também sabemos que, para quem tem filhos, uma viagem como essa, desbravando o Velho Continente, nem sempre é fácil. Opa! Quem disse isso?

A família pode – sim, senhora! – desfrutar de deliciosos momentos em terras europeias com a turma toda, incluindo adultos e crianças no grupo. O segredo para isso é montar um itinerário adequado a todos os membros do clã, considerando as diferenças de ritmo e o interesse da turma pitica.

Com um planejamento bem feito, com antecedência, será muito mais fácil evitar frustrações, perda de tempo e entrar em alguma roubada. Por isso, antes de começar a montar o roteiro, leve em conta a idade dos filhos que lhe acompanharão.

Com filhos menores de 8 anos

Se você está para embarcar na aventura de visitar as capitais da Europa com os filhos, o primeiro fator que deve considerar é a época do ano em que a viagem vai acontecer. Os invernos europeus geralmente são muito duros e hostis para bebês e crianças em idade pré-escolar. Se puder, evite os primeiros meses do ano.

Também deve considerar que muitos pontos turísticos não são muito amigáveis para a turminha. Museus, galerias de arte, castelos e outros locais históricos exigem tempo e concentração para serem percorridos – e nem sempre os menores costumam ter a paciência e o interesse necessários para a visita.

Opte, então, por passeios a parques, museus para crianças ou outras propostas que eles possam participar com entusiasmo. Existem dezenas de dicas com sugestões de atividades com crianças em cada cidade. A blogueira Patrícia Cerqueira, por exemplo, já escreveu sobre viajar com crianças para Berlim, Paris e Londres.

Outro conselho? Escolha hotéis confortáveis e agradáveis, já que provavelmente a família passará boa parte do dia ali. As crianças pequenas não aguentam longas jornadas de passeios. Assim, prepare-se para recortar o itinerário e alternar saídas com períodos de descanso no hotel.

Um bom recurso é contratar um "tour pela capital", que ofereça um itinerário limitado, superorganizado e com traslados em ônibus. Dessa forma, deixará o planejamento e logística nas mãos de outros, e você poderá dedicar mais atenção ao cuidado das crianças.

Com filhos de 8 a 13 anos

Essa fase é conhecida como "os anos dourados de viagem". As crianças são pequenas, mas já têm idade suficiente para resistir a longas jornadas turísticas, comer em restaurantes "adultos" e se adaptar ao ritmo de viagem em geral.

Além disso, a gama de interesses delas é ampla e vão se entusiasmar com tudo o que as grandes cidades da Europa têm a oferecer. Por outro lado, como ainda não entraram na adolescência, então as caras de aborrecimento e os maus humores ainda não fazem parte da agenda diária.

O que deve visitar com crianças dessa idade? Tudo! Desde de um museu de arte até uma torre medieval, tudo despertará a sua curiosidade. Antes de viajar, explorem juntos a internet e aprendam o que puderem sobre o que logo visitarão. Isso vai enriquecer a experiência para todos.

Com filhos maiores de 13 anos

Viajar para a Europa com filhos adolescentes também pode ser uma experiência muito enriquecedora. É que a oferta cultural das grandes cidades será tão estimulante para eles, como para adultos.

Se você tem um fã de música em casa, capitais como Londres ou Berlim irão deslumbrá-lo. Se tem filhas que adoram moda, aproveitem o máximo de Paris e Roma, e as tendências supercool de Londres.

A chave: pegue os interesses pessoais dos viajantes e busque atividades em cada cidade, que sejam relacionadas com tais gostos. Na hora de escolher restaurantes e cafés, também é divertido combinar propostas clássicas com opções mais modernas, que podem chamar a atenção.

Uma dica importante: não espere que eles desfrutem da viagem da mesma forma que você fará. Se o Palácio de Versalhes parece chatíssimo para eles, faça o possível para não se irritar. O mau humor estará na ordem do dia, então permita que eles passem uma tarde no hotel assistindo TV, se é isso o que eles querem.

Afinal, o objetivo principal é que todos possam aproveitar ao máximo. E não é errado que esse prazer seja diferente para cada um.

Você já fez uma viagem deste tipo com os seus filhos? Como foi a experiência?

(Foto: Getty Images)