Viagem e Férias

O que fazer em uma primeira viagem

Chegou o momento de encarar um avião ou navio e você não sabe como agir? Calma! É só ler esta matéria e ficar tranquila

O que fazer em uma primeira viagem

Seja por terra, ar ou mar, toda viagem tem sua primeira vez! Embora a logística de cruzeiros e voos pareça complicada, algumas dicas essenciais podem te ajudar a fazer tudo direitinho e viajar sem aperto (ou constrangimentos).

Confira nosso passo a passo, prepare-se para embarcar tranquila e trazer um milhão de fotos e só lembranças boas na mala!

A primeira vez no avião

  • Antes de embarcar, não dê bobeira com os documentos. Em viagens nacionais ou pelos países que integram o Mercosul, tenha sempre o RG em mãos, e certifique-se de que o documento tenha menos de 10 anos de emissão. Para viagens internacionais, leve o passaporte atualizado. Ausência de documentos ou versões inválidas certamente vão impedir seu embarque. Isso sem contar que boa parte dos países exige visto de entrada com, pelo menos, mais de 6 meses de validade.
  • Ao arrumar as malas, tenha em mente que, em média, o limite de bagagem a ser despachada para cada passageiro é de 23 kg, e a companhia aérea pode cobrar o excesso, negar o transporte ou despachá-la em outro voo. Por isso, ao comprar as passagens, confira as regras da empresa.
  • Aproveite para preparar uma bagagem de mão com uma muda de roupa – que pode prevenir de você não ficar de mãos abanando caso sua mala venha a ser extraviada. Também há limites para a bagagem de mão, que são definidos de acordo com critérios de segurança. Nos voos domésticos, por exemplo, não pode ter mais de 115 cm, considerando altura, comprimento e largura, nem mais de 5 kg. Importante: não são permitidos na mala de mão objetos cortantes, inflamáveis ou líquidos em embalagem com ou mais de 100 ml.
  • Além de se preocupar com bagagem, a arquiteta e viajante de carteirinha Tatiana Marques, do blog Por Mais um Carimbo, sugere fazer uma refeição leve em casa antes de embarcar no avião, pois o serviço de bordo pode demorar ou não lhe agradar. Roupas e sapatos confortáveis também são essenciais. “Compre uma almofadinha de pescoço para dormir mais confortavelmente no avião e, se for viajar com crianças, providencie lanchinhos para o voo e atividades, como livro de colorir, tablet etc”, recomenda.
  • Planeje a chegada ao aeroporto: para voos domésticos, é preciso se apresentar para o checkin com, pelo menos, 2 horas de antecedência. Vai para o exterior? Programe 3 horas, conforme é exigido. Procure deixar planejado o transporte até o aeroporto, considerando as condições de trânsito e climáticas para não se atrasar e fazer todo o procedimento com calma.   
  • O checkin nada mais é do que se apresentar à companhia em que você comprou a passagem para receber o cartão que autorizará seu embarque. Apresente documento válido (RG, CNH carteira de identidade emitida por conselho ou federação profissional com) e o passaporte (quando necessário) e não perca de vista o cartão de embarque, que será solicitado para acesso à sala de embarque e também à aeronave. No momento do checkin é despachada a bagagem que você não vai levar na mão.
  • Ao se dirigir ao acesso para o portão de embarque, você terá que passar por um detector de metais. É nessa hora que líquidos e objetos cortantes proibidos serão retidos pelos funcionários, caso você os tenha na mala de mão. Antes de atravessar o detector, procure tirar brincos, cinto e outros itens de metal, além de jaqueta e lenços de pescoço, para agilizar o procedimento. Caso algum funcionário lhe peça para remover objeto da bagagem de mão ou bolsa, ou até sapatos, não se preocupe. Esse é um procedimento muito comum. 
  • Uma vez na sala de embarque, fique atenta aos painéis eletrônicos e aos avisos sonoros para saber direitinho qual o horário, portão de embarque e se informar de mudanças de portão, que são bastante corriqueiras.
  • Vai se dirigir ao avião? Tenha em mãos o que pretende manter contigo durante a viagem. “Fone de ouvido, livro, revista... Recomendo já ir retirando da bolsa para não interferir no fluxo da fila de entrada do avião, pois o espaço é pequeno para o número de pessoas que precisam se acomodar em tão pouco tempo”, opina a vendedora de software Leticia Oliveira Costa, que faz viagens internacionais a cada duas semanas, pelo menos. “É importantíssimo, também, em função do espaço apertado, não incomodar os demais”, lembra.
  • Antes do avião decolar, procure ler o cartão com instruções de segurança que estará à frente de seu assento, bem como ouvir com bastante atenção as orientações que os comissários de bordo irão passar.
  • De pronto, saiba que não é permitido fumar no avião, nem manter dispositivos eletrônicos ligados durante a decolagem e o pouso, momentos em que sua poltrona deve estar sempre na posição vertical. Procure se manter sentada e com os cintos atados o tempo todo, porque nem sempre as turbulências são previsíveis.
  • Durante o voo, não fale alto, não avance os limites do seu banco ou faça qualquer coisa que possa incomodar quem está ao seu redor.
  • Chegou ao seu destino? Mantenha-se sentada até a aeronave parar totalmente de se movimentar e as portas serem abertas (e costuma demorar um pouco, viu?) e siga as orientações dos comissários e de sinalização no seu aeroporto de destino.
  • Antes de fazer uma viagem de avião, aproveite também para conferir o Guia do Passageiro elaborado pela Infraero. Vale a leitura!

 

A primeira vez no navio

  • Fazer um cruzeiro é mesmo uma experiência inesquecível, mas tem suas regras próprias! Antes de navegar, procure saber se a operadora escolhida também tem orientações específicas. Sabia que alguns cruzeiros têm até código de vestimenta? E que há itens proibidos de serem levados a bordo (algumas companhias impedem bebida alcoolica, secador de cabelo etc)? Informe-se antes.
  • Documentos pessoais são indispensáveis, bem como o voucher da viagem, visto de entrada em outros países (quando necessário) e quaisquer outros comprovantes.
  • O checkin normalmente se encerra 1 hora antes da partida do navio, por isso, não se atrase para chegar ao cais – tente estar lá até 3 horas antes. Se puder, siga a orientação da companhia sobre o checkin online, que deve ser feito com antecedência. “Normalmente também é necessário passar por detectores de metais nos cruzeiros”, diz Letícia. “É bom separar relógio, celular, cinto, tudo o que levar metal”, acrescenta.
  • Cada pacote de cruzeiro traz uma programação e “benefícios”, como o número de refeições e tipo da acomodação. Quando acionar a operadora para tirar as primeiras dúvidas, não deixe de perguntar sobre atividades e eventos nas quais você pode se inscrever e/ou comprar à parte.
  • Nem tudo acontece no navio: reserve um tempo para planejar com antecedência o que fazer nos pontos de parada do cruzeiro. Fazer um roteirinho sempre vale a pena e garantirá lindas imagens e lembranças!
  • Roupas: lembre-se de levar roupas de banho, calçados e roupas leves e confortáveis para os ambientes informais e passeios em terra, e também peças que deem conta de um eventual friozinho. Também leve seus itens de higiene; nem sempre o kit oferecido na cabine atende suas necessidades. Jamais esqueça do protetor solar, de remédios de uso cotidiano e também para enjoo – nunca se sabe!
  • Procure conhecer todas as dependências e atividades disponíveis no navio. Não tenha receio de tirar as dúvidas com a equipe de bordo – ela é treinada para fazer com que os passageiros aproveitem ao máximo a experiência.
  • A regra da bagagem de mão do avião também vale para o navio: prepare uma malinha pequena com itens pessoais e uma muda de roupa; nem sempre a mala que você despachou chegará tão rapidamente à cabine.
  • E silêncio! Para Letícia, essa é uma regra de ouro, sempre respeitando o espaço do outro. “Assim como num avião, o espaço individual num navio não é tão grande, as cabines geralmente são bem próximas umas às outras. Silêncio para não acordar os demais, leveza ao se movimentar e não demorar nas filas dos buffets são comportamentos sempre bem-vindos”, pontua.

 

(Foto: Getty Images)