Viagem

10 coisas para NÃO fazer em uma viagem com crianças!

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Vai viajar com o filhote e deseja que a experiência seja um sucesso? Então venha conferir uma listinha das coisas que você realmente deveria evitar

10 coisas para NÃO fazer em uma viagem com crianças!

Eu sou aquele tipo de mãe que adora viajar com o filho. Contrariando tudo o que eu imaginava que aconteceria, coloquei minha pequena no carro, com 16 dias, para passar o Ano Novo na casa que tenho no interior de São Paulo. E desde então Catarina se acostumou a ter rodinhas no pé, além de asinhas: com 10 meses viajou para outra região do país, e com 4 anos fez sua primeira viagem internacional. 

Para mim, viajar com os filhotes é tudo de bom: você sai da rotina, eles saem também, e você dá um tempo naquela "neura" de fazer as refeições e a hora de dormir sincronizadas com o relógio da casa.

Sabe aquela sensação de que você deixou de curtir o que a vida tem de bom porque tem um filho pequeno? Viajando ela vai embora, e você se sente livre para conhecer novos lugares, experimentar um bom restaurante e passar o dia em uma praia para onde sempre teve vontade de ir. E acredite: os pequeninos podem fazer com que tudo isso tenha um sabor ainda mais especial!

Mas viajar com crianças também tem suas armadilhas, que podem causar uma dor de cabeça daquelas! A seguir eu listei algumas, que já experimentei (sem querer!) na pele, e que se tornaram boas lições do que evitar!

1) Nãe esqueça de levar comida, nem bebida, na bolsa. Não importa se você fará uma viagem de apenas uma hora, e provavelmente seu filho dormirá em todo o trajeto - o fato é que ele pode acordar, o trânsito parar, e se você não tiver o "leitinho" ou uma simples bolachinha à disposição, terá que escutar intermináveis minutos de choro.

2) Não deixe os medicamentos de uso habitual em casa. Pode parecer mentira, mas uma simples ida à praia pode virar um caos sem aquela pomada antialérgica (que, aliás, só pode ser encomendada na cidade vizinha, porque você não encontrou onde está hospedado).

3) Não saia de casa sem uma muda de roupa. Aliás, duas: uma para seu filho, outra para você! Porque a fralda pode vazar, ou o pequeno pode ficar tão enjoado, que o risco de você levar um jato é de 99,9%!

4) Se seu filho dorme mal fora de casa, não marque a viagem para o horário em que ele normalmente vai para cama. Isso porque provavelmente ele não dormirá, mas ficará cansado, irritado, e chorará durante todo o trajeto.

5) Não esqueça o tablet em casa, nem o carregador. Lembre-se de que o aplicativo com aquela musiquinha que o filhote adora pode te salvar em um momento de aperto (que pode acontecer na ida ou na volta!).

6) Se seu filho não tiver noção do tempo, não conte para ele sobre a viagem com muita antecedência. Sendo algo que ele deseja, é possível que ele passe dias (ou meses!) muito ansioso.

7) Não saia sem cobertura médica. Minha filha, por exemplo, teve 39 graus de febre nos EUA, e se não tivéssemos um bom plano teríamos ficado muito mais nervosos do que já ficamos!

8) Não deixe de levar ao menos um conjunto de roupa para cada estação do ano. A metereologia pode errar, e não será legal ter que sair correndo para comprar um casaco, ou um maiô.

9) Não viaje nas horas de pico. Mesmo sendo uma mãe ou um pai com paciência infinita, ninguém merece levar doze horas para subir a serra (com uma criança chorando, então, você chegará quase morto!).

10) Não programe uma viagem com ritmo de adulto se você leva crianças pequenas. Não adianta achar que você poderá passar horas sem comer para aproveitar os passeios da cidade, ou que você sairá para caminhar às 8h da manhã e voltará às 11h da noite. Isso simplesmente não funciona para os pequenos! Quando você respeita o ritmo da criança, tendo momentos para comida, descanso e lazer (inclua parquinhos e brinquedos para a faixa etária, e não só os museus bacanas que deseja conhecer), tudo fica muito, muito melhor!

(Foto: 123RF)