Viagem

Aeroportos com bebês

Por Patricia Papp e Fernanda Avila
@Eu Viajo Com Meus Filhos

Ao contrário do que muitos pais e mães de primeira viagem possam imaginar, é mais fácil encarar longas horas de aeroporto com um bebê do que com crianças maiores. Quer saber a razão?

Aeroportos com bebês

O motivo pelo qual eu acho mais fácil passar horas no aeroporto com um bebê do que com uma criança mais velha é simples: os bebês não andam. E se eles só mamam, fica ainda mais fácil.

Afinal, se você não tiver que se preocupar com papinhas, frutinhas e outros alimentos, já é meio caminho andado! Mas existem, sim, algumas dicas que podem tornar tudo mais agradável. Vamos lá:

- A dica mais importante de todas é: se o seu filho fez o passaporte antes de novembro de 2014, leve a certidão de nascimento ou carteira de identidade dele. No passaporte antigo não constava filiação (absurdo, né?) e não havia forma de provar que o seu filho era seu mesmo. Muita gente já deixou de embarcar por causa disso. E nunca é demais lembrar: se ele for viajar com apenas um genitor, não esqueça de levar a autorização de viagem do outro.

- Na hora de arrumar a mochila para sair de casa, coloque alguns brinquedos pequenos, apropriados para a idade. Isso ajuda a distrair as crianças tanto no aeroporto quanto no avião.

- Vista seu filho com roupas confortáveis e em camadas. Lembre-se que as temperaturas variam bastante por causa do ar-condicionado. Leve dentro do avião um (ou mais) conjunto de roupas extras para o bebê e também para você. Acidentes acontecem.

- Saia de casa sempre com muita antecedência. Como você já deve ter percebido, é preciso trocar fraldas sempre nos momentos de maior correria. Antes de embarcar é importante que o bebê esteja de fralda limpinha e bem alimentado.

- No Brasil, viajantes com bebês sempre têm prioridade nas filas. Mas essa regra não vale para todos os países. Informe-se. 

- Na hora de fazer o check in (faça o quanto antes), verifique se os assentos na primeira fila estão disponíveis. Eles são disputadíssimos por quem viaja com bebês, porque quase todas as companhias disponibilizam bercinhos nesses lugares. Há companhias que cobram a mais para fazer essa reserva. Para voos longos, garanto que vale a pena.

- Se o seu bebê é bem pequeno ainda, leve um sling ou canguru para ficar com as mãos livres enquanto coloca malas na esteira, mostra os documentos etc. A maioria das companhias aéreas permite que você leve o carrinho (nesse caso, recomendo o modelo guarda-chuva) até a porta do avião, mas é preciso etiquetá-lo no check in. Se for usar os carrinhos das companhias (várias oferecem para serem usados no aeroporto; verifique antes) não se esqueça de levar uma mantinha para forrar. Já tive experiências ruins com carrinhos bem sujos.

- Fique muito atenta no controle de segurança e imigração. Se essa já é uma parte chata quando se está sozinho, imagina com criança, carrinho, malas extras (mochilas nas costas sempre ajudam nessas horas), casacos, brinquedos... Use sapatos fáceis de tirar e colocar e evite acessórios que apitem no raio-x, como cintos e bijuterias.

- Lembre-se de que não é possível carregar recipientes com mais de 100 ml. Então, cuidado com mamadeiras. O melhor, se possível, é pedir água mineral no avião para preparar o leite. Em alguns lugares, dá para comprar uma garrafinha na área de embarque.

Viagens da Fer 

(Foto: Schutterstock)